Mundo Muçulmano

Resolvi postar esse vídeo para vocês terem um pouco de noção do islamismo.

Família grande

       Pesquisas apontam que a média de natalidade no ocidente não é suficiente para manter uma cultura. Isto seria uma das causas do crescimento islâmico no mundo ocidental. O crescimento dessa cultura religiosa pode ser explicado simplesmente por causa de sua alta “multiplicação” por descendentes.

Enquanto isso, entre os cristãos, é cada vez e mais raro vermos famílias com muitos filhos . A opção tem sido por um ou até mesmo nenhum filho. Os problemas sociais e econômicos são apontados como a principal causa para essa opção. As conquistas futuras também têm deixado a “programação” para se ter filhos sempre para depois.

Esse post foi publicado em Ministério CACP, Missões, Periódicos, religiões e seitas, Ultimato, Videos e áudios em geral. Bookmark o link permanente.

10 respostas para Mundo Muçulmano

  1. ISLÃ NA EUROPA | População Muçulmana da Europa | Os países mais e menos islâmicos da Europa

    Curtir

  2. Pingback: Revisões, atualizações e comentários nas postagems | Sal da Terra e Luz do Mundo

  3. O Islã será a maior religião do mundo até 2070, uma nova pesquisa sugere.

    O Movimento de Oração paz no Oriente liberou um vídeo curto, de aproximadamente um (1) minuto da BBC News, reetratando o crescimento do Islamismo no mundo.

    O Islã será a maior religião do mundo até 2070

    Curtir

  4. Europa cada vez mais se rende a islamização

    Um tribunal alemão decidiu nesta segunda-feira que um grupo de islamitas não quebraram a lei quando formaram a “polícia da Sharia”, patrulhando as ruas e dizendo às pessoas para parar de beber, jogar ou ouvir música. O grupo muçulmano ultraconservador baseado em torno do salafista alemão convertido Sven Lau provocou indignação pública com as suas patrulhas de vigilantes na cidade ocidental de Wuppertal em 2014, mas os promotores têm se esforçado para abrir um caso contra eles.

    O tribunal distrital da cidade decidiu que os sete membros acusados do grupo não violaram a proibição de uniformes políticos quando se aproximavam das pessoas vestidos com coletes laranja com a menção “Polícia da Sharia”. Juízes disseram que só poderia haver uma violação da lei originalmente dirigida contra os movimentos, como o partido nazista – se os uniformes fossem “sugestivamente militantes ou intimidantes”, disse um porta-voz do tribunal.

    Neste caso, eles descobriram que os coletes não estavam ameaçando e notaram que uma testemunha disse que pensou que os homens faziam parte de uma “despedida de solteiro”. O mesmo tribunal já havia aberto mão de um caso no ano passado, mas foi anulado em um recurso por um tribunal superior, que concordou com os promotores de que a proibição de uniformes poderia ser aplicada neste caso. O veredito da segunda-feira ainda não é definitivo e pode ainda ser objeto de recurso.

    Os membros da “Polícia da Sharia” andavam pelas ruas de Wuppertal, em setembro de 2014, dizendo aos frequentadores de discotecas para abster-se de beber álcool e ouvir música, e aos clientes dos árcades para não jogar jogos por dinheiro. Lau, o organizador, é um dos pregadores islâmicos mais controversos e mais conhecidos da Alemanha. Ele está sendo julgado em um caso separado sob a acusação de apoio a “um grupo terrorista” lutando na Síria.

    As chamadas “patrulhas da Sharia” são formadas por jovens radicais islâmicos, por vezes violentos, também foram vistas em outras cidades europeias, como Londres, Copenhague e Hamburgo.

    Redação Consciência Cristã News
    Com informações do Portal Conservador

    por Artigo compilado – seg dez 26
    http://www.cacp.org.br/europa-cada-vez-mais-se-rende-a-islamizacao/

    Curtir

  5. Pingback: Revisões, atualizações e Correções nas postagens | Sal da Terra e Luz do Mundo

  6. Em 2050 o Islã será a maior religião do mundo

    Islã

    Até 2050, islamismo crescerá 73% e será religião que mais terá se expandido no mundo, diz estudo do Pew Research Center. Alta taxa de fertilidade e significativa população abaixo de 15 anos são motivos que explicam aumento de muçulmanos no planeta nas próximas décadas. O Islã tem se caracterizado como uma religião muito má e perversa, a religião do ódio, uma religião de guerra.
    Enquanto a Igreja evangélica no Brasil e no mundo não acordar para invadir o mundo muçulmano, vamos ver o o Islamismo invadindo os países cristãos e levando muitos a perdição. Fica aí na sua Igreja debatendo se devemos ser Calvinistas ou Arminianos, Pré-tribulacionista ou Amilenista. Fica aí preocupado com as finanças da Igreja e outras distrações do diabo que não leva a Igreja a fazer missões. É isso que o diabo quer, enquanto isso ele levanta seu exército como as Testemunhas de Jeová, Mórmons, Adventistas e outros para ganhar os poucos membros que restam em nossas Igrejas. Que Deus tenha misericórdia de nossos líderes e irmãos.
    Veja esta notícia da Globo News, as mulheres estão se convertendo ao Islã em nosso país, quem são as pessoas mais sensíveis a obra missionária? Quem são as que mais trabalham nas Igrejas? “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até aos confins da terra.” (Atos 1:8)

    http://www.cacp.org.br/em-2050-o-isla-sera-a-maior-religiao-do-mundo/

    Curtir

  7. Pingback: Revisões, atualizações e comentários nas postagens | Sal da Terra e Luz do Mundo

  8. Rápida islamização da Europa, com ajuda cristã
    por Julio Severo

    Um muçulmano esquerdista que apoia o “casamento” homossexual foi eleito o primeiro prefeito islâmico de Londres, a capital da Inglaterra e uma das cidades mais importantes do Ocidente.

    Um muçulmano ensinando “unidade” para uma nação com um passado e maioria cristã?Sadiq Khan, o novo prefeito muçulmano de Londres, disse: “Esta eleição não foi sem polêmica e estou muito orgulhoso que os londrinos tenham hoje escolhido a esperança acima do medo e a unidade acima da divisão.”

    A vitória eleitoral dele foi celebrada numa cerimônia multi-denominacional numa catedral anglicana acompanhada de líderes protestantes, católicos e judeus.

    G.M. Davis, que é doutor em filosofia pela Universidade Stanford e autor do livro “House of War: Islam’s Jihad Against the World” (Casa da Guerra: a Jihad do Islamismo contra o Mundo), chamou a vitória de Khan histórica numa reportagem do WND (WorldNetDaily). E ele avisou acerca das opiniões supostamente esquerdistas de Khan:

    “Embora Khan se anuncie como esquerdista e evite posturas islâmicas ortodoxas tais como a lei xariá, apesar disso ele representa o primeiro passo na crescente presença política do islamismo na Europa tanto dentro quanto fora dos canais políticos convencionais. Um candidato muçulmano esquerdista com o tempo abrirá o caminho para candidatos mais ortodoxos que defendem o islamismo e tudo o que ele representa: poligamia, brutalidade contra mulheres e homossexuais, repressão de grupos religiosos não muçulmanos e todas as marcas registradas da xariá que desfiguraram a história do islamismo durante os séculos.”

    O recenseamento de 2011 registrou que em cada oito residentes de Londres um é muçulmano e mais de um terço da população da cidade era de imigrantes.

    Esses números não incluem os que nasceram para imigrantes não-brancos ou muçulmanos. Para explicar esse caso especial, entrevistei o professor Rodney Atkinson, um líder conservador britânico que tem dado palestras em universidades e reuniões públicas na Inglaterra e em toda a Europa. Ele escreveu vários livros e ocasionalmente dá assessoria para ministros e parlamentares, desde 1981. Atkinson, cujo irmão é o ator Rowan Atkinson (o famoso “Mr. Bean”), dirige o site conservador britânico Free Nations (Nações Livres):http://freenations.net/
    Ele disse:

    A principal razão por que Khan ganhou em Londres foi demografia. Londres não é mais uma cidade britânica. Os “britânicos” não brancos compõem cerca de 53% da população de Londres. Khan (representando o Partido Trabalhista que vem comprando os votos dos imigrantes obrigando o resto dos cidadãos a pagar por sua imigração em massa) obteve 57% dos votos.

    Primeiro, perdemos Londres demograficamente. Agora a perdemos politicamente. Em seguida, a perderemos culturalmente. Então por língua.

    Só os muçulmanos perfazem 6% da população (oficialmente) da Inglaterra. Mas as gangues muçulmanas têm estuprado e cometido agressões sexuais contra milhares de crianças britânicas brancas em Rotherham, Oxford e outros lugares por pelo menos 2 décadas. Como um estuprador paquistanês de crianças disse para a mãe de umas meninas estupradas: “Elas são lixo branco. É só para isso que elas servem.” (Programa BBC Radio 4 Today de 19 de setembro de 2014.)

    E Jack Straw, ministro do Interior do Partido Trabalhista, disse que as gangues muçulmanas veem as crianças como “fontes fáceis de prazer.”

    O governo de Tony Blair e as autoridades locais do Partido Trabalhista nessas localidades acobertaram deliberadamente os estupros.

    Em 2001 uma pesquisadora do Ministério do Interior em Rotherham foi enviada para ministrar um curso de “conscientização sobre etnia e diversidade,” sob a orientação de que ela “jamais, nunca” deveria revelar suas pesquisas de que estupros de crianças em escala em massa estavam sendo cometidos na cidade e os culpados eram principalmente gangues de homens muçulmanos.

    Obviamente dava para escrever um livro sobre esse mal. Mas nunca na história do mundo um país— e um partido político, principalmente o Partido Trabalhista — presidiu a destruição cultural e demográfica de sua própria capital.

    M. Davis disse que os políticos ocidentais podem continuar a ignorar a questão de imigrantes, mas tais mudanças demográficas radicais revolucionarão a política em todo o continente europeu.

    A vitória de Khan ocorre num momento em que seu Partido Trabalhista está sendo assolado por uma crise de antissemitismo. Vários de seus membros foram suspensos por postagens antissemitas nas mídias sociais. O ex-prefeito de Londres Kevin Livingstone, um membro irascível do Partido Trabalhista apelidado de “Ken Vermelho,” foi recentemente suspenso depois que ele alegou que Adolf Hitler apoiou o sionismo antes do Holocausto.
    “O próprio islamismo é profundamente anti-judeu,” acusou Davis.

    Enquanto Khan está celebrando sua vitória islâmica em Londres, na Arábia Saudita os cristãos não têm nenhuma razão para celebrar. Um prefeito cristão de Meca numa cerimônia em sua maior mesquita? Isso está totalmente fora de cogitação. Cristãos e judeus não têm permissão de viver na Arábia Saudita.

    Por que escolher então como prefeito de Londres o representante de uma ideologia religiosa que é campeã de perseguição e assassinato mundial de cristãos e judeus?

    O candidato conservador Zac Goldsmith disse que Khan e seu Partido Trabalhista (de orientação socialista) consideraram terroristas muçulmanos como seus amigos e isso prejudicaria os esforços da polícia para impedir outro ataque em Londres, 11 anos depois que 52 londrinos morreram em explosões suicidas em três vagões de metrô e num ônibus cometidas por muçulmanos. O apelo de Goldsmith, acompanhado de uma foto do ônibus destruído, foi ignorado.

    Michael Fallon, ministro da Defesa da Inglaterra, disse que Khan colocaria a segurança de Londres em risco. Seu aviso foi também ignorado e até desprezado pelos meios de comunicação de massa.

    Até mesmo o primeiro-ministro David Cameron, um conservador com posturas esquerdistas, condenou as ligações de Khan com extremistas islâmicos no plenário do Parlamento britânico. Seus avisos foram ignorados.

    A insanidade politicamente correta está tão generalizada na cultura inglesa que até mesmo o Partido Conservador não é tão conservador e muito menos cristão. Importantes ativistas muçulmanos nesse partido expressaram indignação com o conservador Goldsmith, dizendo que seus ataques contra Khan eram “racistas” e “intolerantes.”

    Sadiq Khan, que defendeu legalmente um terrorista muçulmano que teve parte no ataque terrorista ao World Trade Center em 11 de setembro de 2001 e era membro da al-Qaeda, se torna como prefeito de Londres um dos muçulmanos mais poderosos do mundo.

    Então escolher um muçulmano é escolher “a unidade acima da divisão,” uma vitória contra o “racismo” e “intolerância”?
    Essa união, que não existe em nações islâmicas, vem sendo defendida pelo Papa Francisco, que aceitou o prestigioso Prêmio Internacional Charlemagne (Carlos Magno) por promover a unidade europeia com invasores imigrantes muçulmanos.

    Ecoando o famoso discurso “Eu tenho um sonho” de Martin Luther King, Francisco ofereceu sua visão de uma Europa que acolhe os imigrantes muçulmanos.
    A chanceler alemã Angela Merkel louvou Francisco por enviar “mensagens muito claras.”

    O papa disse que a Igreja Católica Romana pode desempenhar um papel no “renascimento de uma Europa” com maior presença muçulmana.

    Antes da cerimônia, Francisco teve uma reunião privada com Merkel, assim como com Martin Schulz, presidente do Parlamento Europeu e recebedor do Prêmio Charlemagne anterior; Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão da União Europeia; e Donald Tusk, presidente do Conselho da União Europeia.

    Juncker louvou o papa por acolher refugiados muçulmanos em Roma consigo no final de sua recente visita à Grécia, deixando claro que o papa deu o exemplo para a Europa seguir.

    O Prêmio Charlemagne, que consiste de uma medalha e menção honrosa, é concedido anualmente a personalidades que contribuíram para a unidade europeia. Ganhadores anteriores incluem o ex-presidente americano Bill Clinton, um notório ativista pró-aborto, e o Papa João Paulo II, um famoso ativista pró-vida.

    Em seu livro “And Into The Fire: Fascist Elements in Post War Europe and the Development of the EU” (Entrando no Fogo: Elementos Fascistas na Europa Pós-Guerra e o Desenvolvimento da União Europeia), Rodney Atkinson diz que o Prêmio Charlemagne tem conexões originais com os nazistas e seus esforços para unificar a Europa. Os nazistas, que eram unidos com muçulmanos antissemitas, eram também antissemitas. Uma Europa unificada com uma população muçulmana maior será uma Europa muito mais antissemita, um sonho nazista se realizando.

    Charlemagne, ou Carlos Magno (742-814 A.D.), foi um imperador europeu que para manter a Europa unida fez muitas guerras, inclusive contra muçulmanos. Se o papa e os londrinos estivessem seguindo sua unidade europeia, estariam combatendo, não apoiando, invasores muçulmanos.
    Uma verdadeira defesa e unidade da Europa talvez pudesse ser realizada pela OTAN, mas essa organização está ocupada demais combatendo a fantasia de uma União Soviética que não mais existe, enquanto multidões de muçulmanos invadem a Europa, ganham o coração do papa, são eleitos como prefeito de uma das capitais mais importantes da Europa e mudam seu panorama cultural e religioso.

    Esse é o preço de um papa, Europa e OTAN indo atrás de fantasias.

    Com a bênção do papa, a Europa está sob islamização. A Europa não sabe mais o que é e o que será. Mas os invasores islâmicos sabem sua missão, independente se os europeus se importam ou não.

    Com informações do WorldNetDaily, DailyMail, Associated Press e Middle East Forum.

    Versão em inglês deste artigo: Fast Islamization of Europe, with Christian Assistance

    Fonte: http://www.juliosevero.com

    http://www.cacp.org.br/rapida-islamizacao-da-europa-com-ajuda-crista/

    Curtir

  9. rfbarbosa1963 disse:

    Cresce o número de brasileiros adeptos ao Islamismo

    O número de brasileiros que se converte ao Islã é cada vez maior, de acordo com reportagem divulgada na Folha de São Paulo. Segundo o jornal, o fenômeno pode ser observado principalmente na região metropolitana de São Paulo, onde já vivem 11.400 mulçumanos, segundo Censo 2010 (são mais de 35 mil fieis no país). As maiores comunidades formadas por brasileiros convertidos ao Islã estão em Embu das Artes e Francisco Morato. A religião está se estruturando nas periferias, crescendo nos centros e misturando-se com outras culturas.

    A história de muitos brasileiros que se converteram ao Islã tem um ponto em comum: começaram a estudar o Islamismo por curiosidade. Numa mesquita em Pari, no centro de São Paulo, por exemplo, aproximadamente dez pessoas são convertidas ao Islã a cada mês. A informação é do gaúcho Rodrigo de Oliveira Rodrigues, o primeiro sheik brasileiro a fazer cerimônias em português.

    O ex-rapper e ativista Honerê Al Amin, fundador do grupo de cultura hip-hop Posse Haussa, hoje é uma das figuras mais conhecidas na mesquita de São Bernardo do Campo, historicamente frequentada por descendentes de sírios e libaneses. “O que eu posso dizer é que o islã está crescendo em todos os lugares, temos irmãos ex-presidiários que hoje são muçulmanos. Temos a perspectiva de que, independente do que a pessoa fez no passado, se ela escolheu o Islã como meio de vida, será bem vinda”, diz Honerê.

    Centenas de cartas com as mais diversas perguntas sobre o Islã chegam mensalmente na sede da Federação das Associações Muçulmanas do Brasil (Fambras), zona sul de São Paulo. Cerca de 50 presidiários de lugares como a Penitenciária de Coari, no Amazonas; o Complexo Lemos Brito, em Salvador; e os presídios de Mirandópolis e Itirapina, no interior paulista, trocam correspondências com a Fambras atualmente.

    Por meio das cartas, os remetentes pedem livros sobre o Islamismo, tapetes e vestimentas para oração e tiram dúvidas sobre os dogmas do Alcorão. Pelo menos metade dos correspondentes, entre homens e mulheres, já se converteu ao Islã dentro das prisões.

    A Fambras pretende organizar eventos para divulgar a religião dentro de presídios, mas ainda não há planejamento para isso. Atualmente, o trabalho não envolve pregação, apenas atende à demanda de quem já está interessado no islamismo.

    http://www.ultimato.com.br/conteudo/cresce-o-numero-de-brasileiros-adeptos-ao-islamismo

    Curtir

  10. rfbarbosa1963 disse:

    Ao ler o texto no site do CACP(Centro Apologético Cristão de Pesquisas) no dia 03/12/2014, resolvi gerar este comentário com o mesmo.

    http://www.cacp.org.br/a-expansao-do-islamismo-no-brasil/

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s