Estudo de Iniciação Cristã – GERE – O Deus Triuno

       A Bíblia é a revelação específica de Deus e de seus atributos. O que iremos estudar é o que a Bíblia diz a respeito de Deus em dois sentidos:

-Quem Ele é em relação ao homem (questões morais e redentoras).

-Quem Ele é (questões ontológicas; existenciais).

       Primeiro devemos compreender que o nosso Deus é:

-Deus Triuno. Há um só Deus, uma só essência divina. Não há três deuses. Mas há três pessoas em um só Deus: Pai, Filho e Espírito Santo. Estas duas verdades estão contidas na Bíblia, porém está além da capacidade humana compreendê-las. É um mistério da fé.

-Deus Pessoal (Um relacionamento com Ele, embora não sendo como outro relacionamento qualquer, não deixa de ser um encontro pessoal).

-Ele é o autor da vida, o alfa e o ômega, o princípio e o fim de toda a existência (Ap 22:13).

-Deus é amor (1ªJo 4:16).

-Deus é espírito (Jo 4:24).

       Esta é a visão cristã de Deus. Deus é Espírito Pessoal, perfeitamente bom, que em santo amor cria, sustenta e governa tudo (Hb 1:3).

       A revelação bíblica de Deus foi progressiva e utilizou-se de diversos métodos. O nome revelado de Deus mais os títulos que o povo de Israel ou o próprio Deus lhe conferiu faz parte desta revelação progressiva de Deus, revelando o seu ser, a sua essência e sua relação com sua criatura de forma geral. O Velho Testamento caracteriza Deus na pessoa do Pai, entretanto os nomes de Deus revelam a essência de Deus dentro desta revelação progressiva.

Vejamos alguns dos nomes de Deus:

-El (Gn 33:20) –> Deus no singular. Normalmente é usado como prefixo de nomes compostos para Deus, como:

a)El Shaddai (Ex 6:3 – Deus Todo Poderoso).

b)El Elyon (Gn 14:20 – Deus Altíssimo).

-Elohim (Gn 1:1) –> Plural de El e foi usado para ressaltar a sua grande importância, e não para mostrar que havia muitos deuses, já que o plural no hebraico tem várias funções além das que existem no português.

-Yhwh (Ex 3:14_15 – Eu Sou).

Segue abaixo, um vídeo curto em francês com os nomes e significados. Muito bom. Retirei o mesmo do “Movimento de oração Paz no Oriente”. 

A.W.Tozer

 “O que vem à nossa mente quando pensamos em Deus é o que existe de mais importante a nosso respeito”.

 

SOBRE A DOUTRINA DA SANTÍSSIMA TRINDADE

A Trindade é a união de três pessoas – o Pai, o Filho e o Espírito Santo – em uma só Divindade, sendo iguais, eternas e da mesma substância, embora distintas, sendo Deus cada uma dessas Pessoas. Essa doutrina é um mistério porque vai além da razão, mas não contra a razão, como disse acertadamente Norman Geisler: “É conhecida apenas pela revelação divina, portanto não é um assunto da teologia natural, mas da revelação” (GEISLER, 2001, P.834). A Bíblia declara textualmente que existe um só Deus verdadeiro e, ao mesmo tempo, afirma com a natureza e de maneira direta que Jesus é Deus, mostrando nele todos os títulos divinos, com seus atributos, funções e obras de Deus. E, com o Espírito Santo não é diferente; a Bíblia revela a sua divindade plena. Houve no passado quem defendesse o triteísmo, mas a Igreja nunca reconheceu o tal ensino; antes, refutou e combateu essa ideia. O mistério consiste também no fato de o Deus dos cristãos revelado nas Escrituras ser trino e uno sem comprometer o monoteísmo judaico-cristão.

AS DECLARAÇÕES ESCRITURÍSTICAS

A Trindade é uma doutrina com sólidos fundamentos bíblicos e, mesmo sem reconhecer essa terminologia, os cristãos do período apostólico reconheciam essa verdade. Essa doutrina está implícita no Antigo Testamento, pois há declarações que indicam claramente a pluralidade na unidade de Deus (Gn 1:26; 3:22; 11:6,7; Is 6:8). Apesar da ênfase da doutrina monoteísta como o semá: Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor” (Dt 6:4) reafirmada pelo Senhor Jesus (Mc 12:29), o Antigo Testamento mostra que a unidade de Deus não é absoluta. O Novo Testamento revela que essa pluralidade se restringe ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo (Mt 28:19; 1ªCo 12:4_6; 2ªCo 13:13; Ef 4:4_6; 2ªPe 1:2).

Livro de Apoio do 3ºT de 2017 – A Razão da nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos

CPAD

Esse post foi publicado em Adoração e Louvor, Bíblia, Estudo Biblico, Videos e áudios em geral. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Estudo de Iniciação Cristã – GERE – O Deus Triuno

  1. Quem é o autor da expressão Trindade?

    por Artigo compilado

    Trindade é uma expressão de caráter teológico, conferida a Deus pelo teólogo Tertuliano, no final do século 2º.

    “A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós. Amém” (2ªCo 13.14).

    Devido à popularidade do assunto nos círculos estudantis e teológicos, e a abrangência de sua defesa bíblica, nos ateremos apenas ao seu aspecto histórico para que possamos conhecer a origem do termo. Alguns grupos sectários que zombam dos trinitarianos afirmam que a Trindade foi um conceito forjado (manipulado) por “homens”. Por exemplo: a Sociedade Torre de Vigia, organização das Testemunhas de Jeová, assevera que os primitivos cristãos não tinham consciência nem instruíam seus adeptos acerca da doutrina da Trindade. Querem afirmar, com isso, que a fé na doutrina da Trindade, advogada pelos cristãos, ocorreu por conta de uma heresia doutrinária por volta do século 3º. Se assim fosse, e se a Bíblia não comentasse nada sobre a Trindade, uma pergunta ficaria sem resposta: quem foi o “inventor” dessa doutrina?

    Uma coisa é certa: não foi inventada por homens. A bem da verdade, se os cristãos quisessem minimizar o suposto “problema” que permeia a compreensão genuína dessa doutrina, seria muito mais fácil alterá-la, manipulá-la ou, então, não reconhecê-la como bíblica.

    Antes de qualquer coisa, é necessário afirmar que a doutrina da Trindade não tem sua origem nas definições e escritos dos chamados “pais da igreja”. Ao contrário. Sempre esteve esposada nas Sagradas Escrituras. Conforme a obra Introdução à teologia sistemática, de Millard Erickson, “a doutrina ortodoxa da Trindade foi enunciada em uma série de debates e concílios, em grande parte, causada por movimentos tais como monarquianismo e arianismo. Foi no Concílio de Constantinopla (381 d.C.) que emergiu uma formulação definitiva em que a igreja explicitou as crenças que estavam implícitas. A concepção que prevaleceu foi basicamente a de Atanásio (293-373 d.C.), conforme elaborada e aperfeiçoada pelos teólogos capadócios: Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa“.

    Analisando as informações históricas referentes ao assunto, podemos afirmar que o termo Trindade foi uma expressão de caráter teológico conferida a Deus por Tertuliano, no final do século 2º. Obviamente que recebeu esta designação porque seus ensinos se encontram em várias partes da Bíblia. Não necessitamos dos chamados “pais da igreja” para justificar a doutrina da Trindade, mas os documentos ou os escritos desses “pais” provam, sem deixar nenhuma sombra de dúvida, que a doutrina da Trindade era ensinada e difundida pelos cristãos da antiguidade.

    Por Gilson Barbosa do site do ICP em 28/11/2019

    http://www.cacp.org.br/quem-e-o-autor-da-expressao-trindade/

    Curtir

  2. Pingback: Revisões, atualizações e comentários nas postagens | Sal da Terra e Luz do Mundo

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s