Por que o mundo não o Pode Receber

Jo 14:17

“O Espírito da verdade, que o mundo não pode receber.”

A fé cristã, baseada no Novo Testamento, ensina a completa antítese entre a igreja e o mundo. Anotei isso resumidamente num capítulo anterior, mas o assunto é tão importante para a alma anelante que eu acho que aqui devo adentrar a coisa toda um pouco mais.

       Toda essa questão é espiritual, em sua essência. O cristão é o que é não por manipulação eclesiástica, mas pelo novo nascimento. É cristão por causa de um Espírito que nele habita. Só o que é nascido do espírito é espírito. A carne nunca pode converter-se em espírito, não importa quantos dignitários da igreja nela trabalhem. A confirmação, o batismo a santa comunhão, a profissão de fé – nenhum destes, nem todos estes juntos podem transformar a carne em espírito, e tampouco pode fazer de um filho de Adão um filho de Deus. “E, porque vós sois filhos”, escreveu Paulo aos gálatas, “enviou Deus aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai.” E aos coríntios ele escreveu: “Examinai-vos a vós mesmos, se realmente estais na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não reconheceis que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados”. E aos romanos: “Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se de fato o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”.

      A dificuldade que nós cristãos contemporâneos enfrentamos não é a de entender mal a Bíblia, mas a de persuadir os nossos indóceis corações a aceitarem as suas claras instruções. O nosso problema é conseguir o consentimento das nossas mentes amantes do mundo para termos Jesus como Senhor de fato, bem, como de palavra. Pois uma coisa é dizer, “Senhor, Senhor”, e outra coisa completamente diferente é obedecer aos mandamentos do Senhor. Podemos cantar, “Coroai-o, Senhor de Todos”, e regozijar-nos com os agudos e sonoros tons do órgão e com a profunda melodia de vozes harmoniosas, mas ainda não teremos feito nada enquanto não abandonarmos o mundo e não fixarmos os nossos rostos na direção da cidade de Deus na dura realidade prática. Quando a fé se torna obediência, aí é de fato fé verdadeira.

       O mundo, no sentido neo-testamentário do termo, é simplesmente a natureza humana não regenerada onde quer que esta se encontre, quer no bar, quer na igreja.

      Portanto, quer o mundo se apresente em seus aspectos mais feios, quer em suas formas mais sutis e refinadas, devemos reconhecê-lo pelo que ele é e repudiá-lo categoricamente. Precisamos fazer isso, se é que desejamos andar com Deus em nossa geração como Enoque o fez na sua. Um rompimento puro e simples com o mundo é imperativo. “Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo, constitui-se inimigo de Deus” (Tiago 4:4). “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procedem do Pai, mas procede do mundo” (1ªJo 2:15, 16). Estas palavras de Deus não estão diante de nós para nossa consideração; estão aí para nossa obediência, e não temos direito de arrogar-nos o título de cristãos se não as seguirmos.

       Quanto a mim, temo qualquer tipo de movimento religioso entre os cristãos que não leve ao arrependimento resultando numa aguda separação do crente e o mundo. Suspeito de todo e qualquer esforço de avivamento organizado, que seja forçado a reduzir os duros termos do Reino. Não importa quão atraente pareça o movimento, se não se baseia na retidão e não é cuidado com humildade, não é de Deus. Se explorar a carne, é uma fraude religiosa e não deve receber apoio de nenhum cristão temente a Deus. Só é de Deus aquele que honra o Espírito e prospera a expensas do ego humano. “Como está escrito: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor.”

A.W.TOZER

A Conquista Divina

Editora Mundo Cristão

Esse post foi publicado em Autores Diversos, Bíblia, Diversos. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Por que o mundo não o Pode Receber

  1. Edificantes mensagens, irmão Ricardo. Que a potente mão do Senhor esteja contigo !!!

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s