As bênçãos da vida crucificada – As recompensas eternas da vida crucificada

Sl 133:1

“Como é bom e agradável quando os irmãos vivem em união!”

       O valor de qualquer jornada sempre pode ser medido pelas dificuldades ao longo do caminho. Quanto mais difícil a jornada, mais satisfatório o destino.  Tenho pensado na vida crucificada como uma jornada. Tem um começo, é claro, mas o fim  nunca está deste lado da glória. Sou lembrado disso por um hino chamado “A mensagem real”.

Sou forasteiro aqui; em terra estranha estou;

Celeste pátria, sim, anunciando vou.

Embaixador, por Deus, de reinos de além-céus,

Venho em serviço do meu Rei.

       Não são muitos os cristãos que se consideram estrangeiros “em terra estranha”. Mas é exatamente isso que somos se somos cristãos. Se começamos a jornada e estamos vivendo a vida crucificada, este mundo certamente não é o nosso lar. É por isso que nunca deveríamos estar muito confortáveis nesta vida.

       Alguns foram mal informados sobre a vida cristã e a vida crucificada. Por algum motivo, eles pensam que é um caminho fácil. Acreditam que Deus eliminará todos os problemas e dificuldades e que eles serão capazes de viver sem nenhum tipo de distração ou perturbação. Como qualquer um que tenha feito essa jornada sabe, não é o que acontece. Se a sua jornada não é atravancada de dificuldades, provações e fardos, você simplesmente pode estar no caminho errado.

       É impossível ler a Bíblia e não ver que cada homem e cada mulher de Deus enfrentaram dificuldades e problemas extremos. A história da Igreja também está repleta de casos de lutas enfrentadas pelos cristãos, até maiores que os mártires da Igreja sofreram. Se a vida cristã é tão fácil como alguns acreditam, então por que toda essa história de lutas e dificuldades e martírios?

TIPOS DE DIFICULDADES

       As dificuldades podem ser divididas em algumas categorias. Primeiro podem ser uma distração. Por “distração”, quero dizer que elas podem tirar-nos do curso principal. Voltando à fazenda na Pensilvânia, arávamos usando um cavalo. Para aquele cavalo não se distrair, precisávamos colocar antolhos nele.

       As dificuldades que atravessam o nosso caminho podem distrair-nos do nosso verdadeiro propósito diante de Deus. Podemos ficar tão imersos nas nossas dificuldades que não vemos mais nada. Podemos esquecer a direção que estávamos seguindo. Se você estudar a história de Israel, descobrirá que toda a jornada desse povo foi cheia de distrações após distrações. Ele estava andando em certa direção, e então algo ocorria para distraí-lo e o empurrava para a esquerda ou a direita.

       É claro que as dificuldades que atravessam o nosso caminho nos podem desanimar. Muitos têm dificuldade em acreditar que um cristão possa ficar desencorajado em algum momento. Quando um cristão tem dificuldades que o levam ao ponto de desanimar, ele é tentado a acreditar que na realidade não nasceu de novo. A verdade é que as várias dificuldades que ele enfrenta têm o potencial de encobrir seu bom senso e anuviá-lo com uma boa dose de desânimo.

       É triste ler ou ouvir de uma pessoa que começou bem, mas de algum modo se distraiu e morreu no caminho. O apóstolo Paulo lidou com isso entre os cristãos gálatas:

Gl 3:3

“Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne?”

       Os gálatas haviam começado bem, mas alguma coisa no caminho os havia distraído do propósito original, levando-os a um estado de desânimo. Eles começaram a sentir como se tivessem de lutar por si sós. É aí que nós também encontramos problemas. As dificuldades são um aspecto comum da vida. Mas deveríamos ser encorajados por aquilo que Paulo escreveu aos coríntios:

1ª Co 10:13

“Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.”

Penso, nesse mesmo sentido, que o valor de uma pessoa sempre pode ser medido pelo que ocorre quando ela está realmente enfrentando problemas. É certo que vamos enfrentar dificuldades e problemas. O caminho da vida crucificada traz muitos obstáculos, impedimentos e perigos. Assim, não é o fato de termos essas dificuldades, mas o que realmente determina a qualidade do nosso relacionamento com Deus é como lidamos com elas. Se desistimos, o que isso mostra a respeito da nossa confiança em Deus?

O EXEMPLO DO REI DAVI

       Ninguém teve mais dificuldades e problemas que o rei Davi, conforme se registra no Antigo Testamento. Estou certo de que em algumas ocasiões ele mesmo criou dificuldades e problemas para si. Na maior parte dos casos, contudo, suas dificuldades e pesares foram causados pelo chamado de Deus em sua vida.

       Davi reconta essas dificuldades no salmo 57. Esse salmo é extraordinário porque nos faz vislumbrar o coração desse homem. A qualidade da vida de Davi é percebida na maneira pela qual ele enfrentou sua dificuldade.

       No salmo 57, Davi confessa a natureza angustiante de suas dificuldades. No versículo 1 ele as chama de ‘calamidades” (Almeida Revista e Atualizada). É sempre bom reconhecer o problema que está à sua frente. Quantas vezes as pessoas desconsideram um problema ou realmente não vêem bem diante delas? Nada é mais perigoso que estar diante de um problema ou dificuldade e não ter conhecimento disso.

       Davi não desconsiderou suas “calamidades”. Ele as reconheceu como eram de fato. Não tentou explica-las, ignorá-las ou culpar alguém por elas. É isso o que realmente fazemos com frequência quando experimentamos calamidades. Por algum motivo, acreditamos que se pudermos culpar alguém por nossos problemas, os problemas desaparecerão. Isso simplesmente não acontece.

       Não penso que havia um único osso covarde no corpo de Davi. Desde o momento em que enfrentou Golias até seu leito de morte, Davi nada temeu, exceto Deus. Imagine um adolescente em pé, com cinco pedras lisas na mão, diante de um dos maiores soldados de sua época. Golias era um gigante em muitos sentidos. Não era apenas grande, mas também uma maquina de combate. Acho que é seguro dizer que Golias nunca havia perdido uma batalha. A história de suas lutas era tremenda. Por isso os filisteus enviaram Golias para lutar com o exército de Israel. Sabiam do que ele era capaz.

       Entretanto, Golias nuca tinha visto Davi. Golias acusou Davi de não saber o que estava fazendo. Acusou-o de não compreender o que realmente estava em jogo. Mas Davi disse a Golias que não lutaria com forças próprias, mas em nome de Javé, o Deus de Israel. Desde que Davi estivesse do lado de Deus, não havia nada que temer.

       O embate de Davi com Golias estabeleceu um padrão para o restante de sua vida.

O LADO POSITIVO DAS DIFICULDADES

       Há um lado positivo em encarar problemas e dificuldades severos. Podemos aprender muito quando os enfrentamos. Precisamos lembrar-nos, contudo, de que o inimigo que enfrentamos, aquele que nos ataca, pode discernir a nossa condição espiritual e usar isto contra nós. Essa é a estratégia do inimigo. Ele conhece os nossos pontos fracos e os ataca com toda malignidade do fogo do inferno. Mas eis o que o Diabo não sabe. O apóstolo Paulo nos mostra:

2ª Co 12:10

“Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte.”

       Os que estão na jornada da vida crucificada conhecem a dinâmica espiritual dessa declaração. É na nossa fraqueza que Deus se manifesta de maneira poderosa. O rei Davi sabia que sua força não estava em si mesmo, mas em Deus.

SOLUÇÕES FALSAS PARA AS NOSSAS DIFICULDADES

       Assim como enfrentamos muitas dificuldades e problemas na nossa jornada, assim também encontramos muitas soluções. Livros aos montes nos oferecem soluções para uma ou outra das nossas dificuldades ou problemas. Em sua maioria, porém, esses livros ficam aquém do alvo.

       Uma solução oferecida esses dias é amarrar o inimigo. Quando sentimos o inimigo atacar, precisamos firmar os pés e confrontá-lo. Isso é uma manifestação de machismo espiritual. Queremos mostrar ao criador de problemas, e a qualquer um que esteja nos observando, que não podemos ser enganados.

       O único problema é que o Diabo nunca enfrentará você diretamente. E é melhor eu dizer: o Diabo não joga limpo. Ele usa regras forjadas por ele ao longo do caminho. Um cristão achar que consegue adivinhar as intenções do Diabo é, provavelmente, a idéia mais perigosa que se pode abrigar.

       O Diabo adora quando o convidamos para a batalha. É para isso que ele vive. Ele sabe que não pode vencer, mas sabe também que pode causar algum dano no processo. Toda a  agenda do inimigo pode ser resumida em um objetivo: atrapalhar Deus por meio de seus filhos. O Diabo pensou que podia fazer isso com Jó no Antigo Testamento. Mas o que o Diabo não sabia era que Deus tinha controle absoluto de cada passo do caminho.

        Outra solução que alguns cristãos tentam é usar as Escrituras para desafiar o inimigo. Mas o que esses cristãos não percebem é que o Diabo conhece as Escrituras melhor do que alguns teólogos. O coração do Diabo não está cheio de dúvidas, mas de ódio e ciúmes. Seu ódio e seus ciúmes de Deus o cegam para a realidade do senhorio de Deus.

       Para qualquer cristão, usar as Escrituras sem o Espírito é como entrar numa batalha com uma espada de papel. Não é só a palavra que fará o Diabo dar meia-volta; não, é a Palavra e o poder.  O Diabo pode citar as Escrituras melhor que qualquer professor de seminário, mas quando a Palavra está sob a direção do Espírito Santo, ela sempre atingirá o seu alvo mortal.

A SOLUÇÃO DE DUAS PARTES PARA AS NOSSAS DIFICULDADES

       Quando Daniel foi lançado na cova dos leões, nada fez para se defender. Ele não tentou prender o inimigo. Não tentou desafiar os inimigos citando as Escrituras. Simplesmente deixou a situação nas mãos de Deus. Isso me leva à solução de Davi para seus problemas. No salmo 57, Davi revela a única solução para dificuldades, problemas e calamidades. Essa solução possui duas partes.

Parte um: Refugie-se em Deus

       Em Salmos 57:1, Davi diz: “Eu me refugiarei à sombra das tuas asas, até que passe o perigo” (Salmos 57:1). Em vez de sair para lutar as próprias lutas, Davi se refugiou em Deus. Como ele deve ter sido tentado a mostrar sua força e seu poder ao inimigo! Mostrar ao inimigo que ele não era alguém com quem se podia mexer deve ter sido uma grande tentação para um homem como Davi. Em vez de se envolver com o inimigo, porém, Davi refugiou-se na sombra das asas de Deus.      

       Que verdade bendita compreender que, em meio a todas as nossas dificuldades  e calamidades, temos um refúgio. Certamente há momentos de entrar na batalha e envolver-se com o inimigo. Mas isso deve acontecer sob as ordens diretas do Capitão da nossa salvação. O jovem Davi compreendeu isso quando deparou com Golias.

.
1ª Sm 17:47

“E saberá toda esta congregação que o Senhor salva, não com espada, nem com lança; porque do Senhor é a guerra, e ele vos entregará na nossa mão.”

       A batalha sempre é do Senhor.

Parte dois: Exalte Deus

       O outro aspecto da solução de Davi encontra-se em Salmos 57:5. Davi se refugiou em Deus e, ao mesmo tempo, deu uma oportunidade para Deus ser exaltado. “Sê exaltado, ó Deus.” Esta era a paixão de Davi. O único meio de Deus ser exaltado era Davi encontrar refúgio nele.

       Davi não era oportunista. Ou seja, ele não buscava oportunidades de se exaltar acima do povo que liderava, nem mesmo de se exaltar acima de seus inimigos. Decerto, ao longo do caminho, ele havia tido muitas oportunidades para fazer isso.

       Ainda que não fosse um homem perfeito, Davi tinha perfeita confiança em Deus, não em si mesmo. É aqui que arranjamos problemas. Certamente confiamos em Deus, mas por algum motivo confiamos em nós acima de Deus, só para o caso de Deus não dar conta do recado. Davi não era assim. Ele se colocava em tal posição que, se Deus não desse conta, tudo estaria perdido.

       De novo, considere o exemplo de Davi e Golias. Você aprecia o grande risco assumido por Davi? Muitas vezes me pergunto porque o Rei Saul permitiu que Davi fosse até lá enfrentar Golias daquela maneira. Se Davi tivesse falhado, Israel teria falhado. Toda a situação entre Israel e os filisteus se resumiu a um adolescente de nome Davi e suas cinco pedras lisas e uma funda. É difícil imaginar Davi em pé diante do gigante. Se Deus não desse conta, tudo estaria perdido para o garoto e para os israelitas.

A LINGUAGEM DO CÉU

       O resumo é: Você está disposto a dizer “Ó Senhor, exalta-te acima de mim e de tudo o que sou — posses, amigos, confortos, prazeres, reputação, saúde e vida – tudo. Testa-me, Senhor, e vê se eu realmente consigo deixar tudo em tuas mãos. Coloca minha vida na linha, para que eu não seja totalmente eu, mas totalmente teu, conhecendo a verdade de que posso refugiar-me em ti”.

       Se você chegou até aqui, sugiro mais um passo em sua oração: “Ó Senhor, dispara uma cadeia de circunstâncias que me leve ao lugar em que eu possa dizer sinceramente; ‘Se exaltado acima dos céus’”.

       Você já se perguntou que linguagem se fala no céu? É isso. Essa é a linguagem do céu. Eles virão do norte, do sul, do leste e do oeste. Virão de países que falam alemão, espanhol, grego e sírio. Virão de todo o mundo e nunca terão de se sentar e se submeter ao processo de aprender uma nova língua. No reino de Deus todos falarão a mesma língua, cuja tônica será: “Digno é o cordeiro que foi morto de receber a glória, a honra e o poder” (v. Apocalipse 4:11). Você conhecerá a linguagem do céu quando chegar lá sem ter de estudá-la – e você não falará com sotaque.

       O alvo da vida crucificada é deixar-se colocar numa posição tal em que Deus é exaltado. Quando você permitir que Deus seja exaltado em suas dificuldades, estará na condição perfeita para aspirar a doce fragrância da presença dele.                             

Saudai o nome de Jesus

Edward Perronet (1726-1792)

 

Saudai o nome de Jesus,

Arcanjos vos prostrai.

O Filho do glorioso Deus,

Com glória coroai.

O Filho do glorioso Deus,

Com glória coroai.

Ó escolhida geração

Do bom, eterno Pai,

O grande autor da salvação,

Com glória coroai.

O grande autor da salvação,

Com glória coroai.

Ó perdoados por Jesus,

Alegres adorai.

O Deus da paz, o Deus de luz,

Com glória coroai.

O Deus de paz, o Deus de luz,

Com glória coroai.

Ó tribos, raças e nações,

Ao Rei divino honrai.

A quem quebrou os vis grilhões.

Com glória coroai.

A quem quebrou os vis grilhões,

Com glória coroai.

A VIDA CRUCIFICADA – COMO VIVER UMA EXPERIÊNCIA CRISTÃ MAIS PROFUNDA

A.W.TOZER

EDITORA VIDA. 

Esse post foi publicado em Autores Diversos, Bíblia, Diversos, Em destaque, Videos e áudios em geral. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s