Alcançando a Índia

Resolvi disponibilizar estes dois vídeos que complementam  o estudo e conhecimento da nação indiana, com as suas castas e religiões diversas

Acrescentei também um material em power point da SEPAL com dados gerais sobre a Índia, contendo onze slides. Excelente e de fácil visualização, bastando clicar abaixo:

 

dados_sobre_a_india_sepal

Localização da Índia

Localização da Índia em verde escuro.
Território disputado da Caxemira (que inclui reivindicações de Paquistão e China) em verde-claro.

Índia (em hindiभारतBhāratpronunciado: [ˈbʱaːrət̪]; em inglêsIndiapronunciado: [ˈɪndiə]), oficialmente denominada República da Índia (em hindiभारत गणराज्यBhārat Gaṇarājya; em inglêsRepublic of India), é um país da Ásia Meridional. É o segundo país mais populoso, o sétimo maior em área geográfica e a democracia mais populosa do mundo. Delimitada ao sul pelo Oceano Índico, pelo mar da Arábia a oeste e pelo golfo de Bengala a leste, a Índia tem uma costa com 7 517 km de extensão. O país faz fronteira com Paquistão a oeste;[nota 1]ChinaNepal e Butão ao norte e Bangladesh e Mianmar a leste. Os países insulares do Oceano Índico — Sri Lanka e Maldivas— estão localizados bem próximo da Índia.

Lar da Civilização do Vale do Indo, de rotas comerciais históricas e de vastos impérios, o subcontinente indiano é identificado por sua riqueza comercial e cultural de grande parte da sua longa história. Quatro grandes religiões — hinduísmobudismojainismo e siquismo — originaram-se no país, enquanto o zoroastrismo, o judaísmo, o cristianismo e o islamismo chegaram no primeiro milênio d.C. e moldaram a diversidade cultural da região. Anexada gradualmente pela Companhia Britânica das Índias Orientais no início do século XVIII e colonizada pelo Império Britânico a partir de meados do século XIX, a Índia tornou-se uma nação independente em 1947, após uma luta social pela independência que foi marcada pela extensão da resistência não violenta.

O governo da Índia também considera o Afeganistão como um país fronteiriço. Isso ocorre porque os indianos consideram todo o estado de Jammu e Caxemira como parte da Índia, incluindo a porção que faz fronteira com o território afegão. Um cessar-fogo promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948 congelou as negociações sobre o território reivindicado pelo Paquistão e pela Índia. Como consequência, a região que faz fronteira com o Afeganistão é administrada pelo governo paquistanês.

A Índia é uma república composta por 28 estados e sete territórios da união, com um sistema de democracia parlamentar. O país é a sétima maior economia do mundo em Produto Interno Bruto (PIB) nominal, bem como a terceira maior do mundo em PIB medido em Paridade de Poder de Compra. As reformas econômicas feitas desde 1991 transformaram o país em uma das economias de mais rápido crescimento do mundo; no entanto, a Índia ainda sofre com altos níveis de pobreza, analfabetismo, violência de género, doenças e desnutrição. Uma sociedade pluralistamultilíngue e multiétnica, a Índia também é o lar de uma grande diversidade de animais selvagens e de habitats protegidos.

Mapa da Índia

Etimologia

O nome Índia é derivado de Indus, que por sua vez é derivado da palavra Hindu, em persa antigo. Do sânscrito Sindhu, a denominação local histórica para o rio Indus. Os gregos clássicos referiam-se aos indianos como Indoi (Ινδοί), povos do Indus. A Constituição da Índia e o uso comum em várias línguas indianas igualmente reconhecem Bharat como um nome oficial de igual statusHindustão (ou Indostão), que é a palavra persa para a “terra do Hindus” e historicamente referida ao norte da Índia, é também usada ocasionalmente como um sinônimo para toda a Índia.

No interior do território indiano vive cerca de 1,2 bilhão de pessoas, isso coloca o país em segundo lugar entre os países mais populosos do mundo, sendo superado somente pela China, cuja população é de aproximadamente 1,3 bilhão de habitantes. A Índia apresenta uma taxa de crescimento vegetativo anual de cerca de 1,3%, percentual que preocupa, pois esse aumento na população representa muito. 

A numerosa população indiana possui uma grande diversidade cultural, étnica e religiosa. Há uma grande complexidade étnico-linguístico na Índia. A população é formada a partir de povos como: dravidianos e arianos, incluindo ainda grupos humanos de menor expressão. Quanto à língua, são aceitos como oficiais 18 idiomas, além de pelo menos 1 600 dialetos. Na índia cerca de 74% da população é de religião hinduísta, além de aproximadamente 12% de mulçumanos, e o restante, cerca de 14%, praticam outras religiões. 

Informações diversas

Nome: República da Índia. 

Capital: Nova Délhi. 

Cidade mais populosa: Bombaim (16,6 milhões). 

Religiões: Hindu, islamismo, cristã, sith, budismo, entre muitas outras. 

Mortalidade infantil: 34,61 mortos/1000 nascidos. 

Expectativa de vida: 65 anos. 

Independência: 15 de agosto de 1947. 

Subdivisões políticas: 28 Estados e 7 territórios da união. 

PIB: 2,9 trilhões de dólares. 

Gentílico: indiano (a). 

Moeda: rupia indiana. 

Religiões indianas

As religiões da Índia, são o conjunto das tradições religiosas correlatas que se originaram no subcontinente indiano, mais precisamente o hinduísmo, o budismo, o jainismo e o sikhismo (repare que são religiões originárias da Índia, mas não necessariamente maioritárias no país). Há também o Zoroastrismo , o Judaismo, o Cristianismo e o Islamismo embora estas quatro não tenham nascido na Índia.

Formam o subgrupo da classe maior das “filosofias orientais“. As religiões da Índia tem similaridades em credos, modos de adoração e práticas associadas, principalmente devido à sua história de origem comum e influência mútua.

https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%8Dndia

https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/india.htm

https://pt.wikipedia.org/wiki/Religi%C3%B5es_indianas

Esse post foi publicado em Bíblia, Diversos, Em destaque, Videos e áudios em geral. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Alcançando a Índia

  1. Para muitos a Índia é considerada terra de figuras conhecidas, como Buda e Gandhi, ou mesmo por cores e misticismo relacionados ao hinduísmo, religião que alcança cerca de 80% da população. Apesar de pregar o respeito e honra a todos os seres humanos, essa não tem sido uma prática no país. Os nacionalistas têm trabalhado com o governo para uma completa “hinduização” da Índia até 2021, tornando-a a única religião do país. Seu discurso diz que “se você não é hindu, não é indiano”. E isso tem afetado a vida dos cristãos locais. A igreja também enfrenta desafios relacionados com o aumento da violência, isolamento social dos convertidos, leis anticonversão e de blasfêmia, e discriminação quanto à herança e benefícios fiscais.
    Governo, autoridades e investidores estrangeiros negam que exista um problema. Eles tentam mostrar aos estrangeiros uma Índia alegre e pacífica, porém na realidade o país possui um lado obscuro. Nele, a minoria cristã enfrenta perseguição severa e violência crescente só por possuir outra fé. Em apenas quatro anos, o país aumentou 17 pontos na classificação da Lista Mundial da Perseguição. Apesar da constituição garantir liberdade religiosa, os radicais parecem não entender isso.
    Se a liberdade religiosa fosse realmente aplicada, cada indiano decidiria se deseja se converter, mas isso não acontece, devido à lei sobre conversão forçada, criada para resistir à perda de tradições culturais, prevendo prisão e fiança. Hoje ela é vigente em 8 dos 29 estados, mas pode ser implantada a nível nacional.
    Outro ponto preocupante é o sistema de identidade digital Aardhaar, estabelecido pelo governo. De acordo com o site de notícias
    The Stream, os moradores do país terão que digitalizar a íris, além de fornecer digitais e informações para receber um número. Esse será vinculado a contas bancárias, sinal de celular, viagens e também aos serviços públicos. Isso leva à discussão sobre privacidade, vigilância e monitoramento, principalmente para perseguição religiosa. Ainda de acordo com o site, oficiais anunciaram que mais de um bilhão de indianos já estão cadastrados.

    A PONTA DO ICEBERG

    Devido ao aumento da violência e perseguição, temos abordado a realidade da Índia há algum tempo. Mesmo assim, o número de cristãos cresce no país. Mas é alarmante como incidentes violentos cresceram e alcançaram novos patamares em 2018. Relatos mostram o fechamento de igrejas, destruição de casas, agressões e morte de cristãos. E essa é apenas a ponta do iceberg.
    A Portas Abertas ( https://www.portasabertas.org.br/) apoia cristãos perseguidos com distribuição de Bíblias e literatura cristã, treinamento bíblico, ajuda socio-econômica e ações institucionais. Tilak tem experimentado desse apoio. Após se converter, quase 40 famílias conheceram a Cristo por meio dele. Comisso, hindus reclamaram com guerrilheiros. Eles disseram que Tilak estava fazendo lavagem cerebral poluindo mentes com a fé cristã.
    Por conta disso, ele foi sequestrado. Os guerrilheiros perguntaram: “Você abandona sua fé em Cristo?, a resposta foi negativa. Então eles amarraram as mãos e pernas dele e o bateram com bastões. Ele subiu uma montanha rastejando. Quando estava sangrando e com feridas, Tilak se lembrou de Jesus no caminho para o Calvário.
    Ele passou a noite sendo torturado até não se mover mais. Um médico confirmou a morte e o corpo foi jogado em uma vala. Então os guerrilheiros foram aos cristãos gritando: “Como Jesus foi agredido e morto, nós matamos seu pastor”. O corpo dele foi encontrado e levado para casa. Porém, quando os cristãos começaram a se reunir, algo maravilhoso aconteceu. Tilak abriu os olhos e recobrou a consciência Jesus lhe devolveu a vida. Ainda deitado, ouvis cristãos e hindus dizendo que aquilo aconteceu “porque ele acreditou em Jesus”.
    Apesar do milagre, a perseguição não parou e a família dele foi ameaçada. Por isso, fugiram para uma vila em outro estado. A Portas Abertas o convidou para participar de um seminário e passou a auxiliá-los com mantimentos e itens de necessidade. “Eu sempre lembro que Deus é por nós e que estará conosco. Cada vez que enfrentamos dificuldade ou dor é para a glória de Deus. Quando formos para o céu, não haverá mais dor ou tristeza”, afirmou Tilak.

    NÃO TENHA MEDO, POIS EU SOU O SEU DEUS

    As capacitações são importantes porque ao conhecerem
    as escrituras, cristãos indianos recebem novo ânimo, como diz o texto de Isaías 41:10a: “Por isso não tema, pois estos com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus”. Além de Tilak, isso também se mostrou real na vida de Bahia*, uma jovem de 22 anos comprometida em seguir a Jesus sob quaisquer circunstâncias.
    (*=Nomes alterados por segurança)
    A garota e a família conheceram a Cristo, mas os líderes da vila e outros moradores não gostaram. Então certo dia, ela foi arrastada para fora de casa, enquanto ainda segurava sua Bíblia. As pessoas a agrediam e diziam: “Você é uma cristã e tem que ir. Esta não é a sua casa”. Duas pessoas a seguravam, mas ela apertava a Bíblia embaixo de um dos braços e a protegia como podia.
    Até que alguém disse que queimaria o livro, aí Bahia gritou: “Façam o quiserem comigo, mas não destruam a Bíblia”. Enquanto era arrastada, também se lembrou do caminho de Jesus para o Calvário. Até que chegou o momento que perdeu a consciência.Ela, a família e os demais cristãos da vila tiveram que fugir. Alguns voltaram após um tempo, mas não Bahia. Ao invés disso, foi para o seminário. “Eu quero aprender sobre Deus. O meu maior desejo é compartilhar a palavra dele. Quero falar que Jesus não morreu apenas por estrangeiros, mas por todos”.

    Índia

    Revista Portas Abertas Ano 37. Nº1

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s