Definindo Relações Humanas

       O termo relações humanas é muito abrangente, exigindo, assim, um estudo profundo do tema. Tentaremos abordar o assunto de forma não acadêmica, mas, na prática, com o intuito de tornar a assimilação bem mais simples, mais rápida e mais acessível a qualquer pessoa.

1 – O que significa relações humanas

       Relações humanas é a arte do relacionamento humano, que surge quando dois ou mais indivíduos encontram-se. É a ponte que liga um indivíduo a outro, um indivíduo a grupos e também os grupos entre si. As ciências das Relações Humanas estudam a convivência, a comunicação e a capacidade que o indivíduo tem de aproximar-se das pessoas. 

      Há, pelo menos, dois tipos de relações humanas: relações interpessoais e relações intrapessoais. As relações interpessoais tratam do relacionamento entre pessoas, caracterizada através dos fatos ou dos acontecimentos que se verificam no lar, na escola, nas organizações, na igreja, e assim sucessivamente. Já as relações intrapessoais trata da comunicação que mantemos conosco mesmo. É o dialogo interior. Por exemplo: a oração, a meditação, a conversa consigo mesmo, etc.

      Como o nosso objetivo neste capítulo está mas voltado para a gestão de pessoas, deixaremos de lado as relações intrapessoais e deter-nos-emos nas relações interpessoais.

2.A Teoria das Relações Humanas

       Sempre houve um interesse eminente pelo estudo do homem e suas relações com o meio social em que ele vive. O tema, no entanto, tornou-se mais enfático a partir das pesquisas realizadas por Elton Mayo em Empresas norte-americanas, dando origem à Teoria das Relações Humanas.

       Um dos estudos mais significativos ocorreu numa fábrica da Western Electric Company em Hawthorne (próximo de Chicago), entre 1924 e 1932, localidade que veio dar o nome ao Estudo: Experiências de Hawthorne.

       A experiência de Elton Mayo  teve como objetivo inicial determinar como as mudanças nas condições de remuneração e de trabalho (iluminação, temperatura, períodos de descanso, acidentes de trabalho, fadiga, rotação do pessoal, etc.) influenciavam as pessoas e sua produtividade do trabalho. Para isso, ele propôs uma subdivisão de uma oficina de rebobinagem em duas partes: numa, foram efetuadas alterações nos horários, no nível de luminosidade, nos tempos de descanso, etc., enquanto que a outra foi mantida como grupo de controle.

       Os resultados da pesquisa foram patentes. Observou-se que a produtividade aumentava com a melhoria das condições de trabalho. A grande surpresa ocorreu quando os investigadores observaram que a produtividade também aumentava quando as condições de trabalho eram deterioradas.

       Baseado nestes resultados, Elton Mayo concluiu que a criação de laços entre os operários que se sentiam observados por uma administração preocupada com o seu bem-estar eram muito mais importantes para o aumento da produtividade do que as simples condições físicas e materiais de trabalho.

Psicologia Pastoral – A Ciência do Conhecimento Humano como Aliada Ministerial

Jamiel de Oliveira Lopes – CPAD

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s