O ciúme

       O ciúme é caracterizado pelo receio de perder alguma coisa ou pelo zelo excessivo por alguém. É uma forma especial de angústia que se baseia na insegurança e inclui o medo de perder a afeição para um rival. Dependendo da intensidade, pode tornar-se num impulso violento.

       As reações da pessoa ciumenta podem ser violentas: “Porque os ciúmes enfurecerão o marido; de maneira nenhuma perdoará no dia da vingança”(Pv 6:34). O ciúme pode levar a pessoa a atacar um rival autêntico caso ele exista.

       Havendo apenas a ameaça, a pessoa ciumenta pode fazer grandes sacrifícios para proteger a pessoa amada e ficar informada a seu respeito, pois teme perder a sua fidelidade. Por exemplo, o marido que tem ciúmes acredita que o outro esteja roubando a afeição de sua mulher, mesmo quando não existe rival.

      No sentido bíblico, o ciúme é ordinariamente considerado um mal, apesar de algumas pessoas procurarem justificá-lo através da expressão bíblica de Tiago, que diz: “O Espírito que em nós habita tem ciúmes […]” (Tg 4:5). O termo ciúme citado por Tiago não pode ser interpretado como o ciúme humano. Nesse caso, a alusão a obra graciosa do Espírito Santo quando nos mostramos infiéis a Cristo e a Deus, que tão ricamente nos tem abençoado. Trata-se do zelo e do cuidado de Deus para conosco. Deus cuida de seu povo e fica profundamente entristecido quando é abandonado por seus filhos.

O ciúme está entre as obras da carne e deve ser vencido (Rm 13:13; 1ªCo 3:3; Gl 5:20 – ARA). Dentre as coisas que podem ajudar uma pessoa a vencer o ciúme, destacamos três:

Supere com inteligência a insegurança – Os sentimentos de insegurança originam-se na primeira infância devido à privação, negligência e perda de afeição que o bebê passa a temer. Esse medo de insegurança é considerado a angústia básica, sendo também um medo associado a outras pessoas. Na verdade, o que mais se teme é o isolamento pela falta de respostas afetuosas de outras pessoas. Em alguns casos, é importante o tratamento psicológico como meio eficaz para superar a insegurança.

Aprenda a amar – “O amor não arde em ciúmes” (1ªCo 13:4). O amor requer que a atitude do ciúme seja modificada. Para isso, faz-se necessário a atuação do Espírito Santo na vida para que se aprenda a amar.

Não  se deixe vencer pelo orgulho e o egocentrismo – Em geral, a pessoa ciumenta vive sucumbida pelo orgulho e o egocentrismo. Assim sendo, a pessoa ciumenta precisa entender que o mundo não foi criado pessoalmente para ninguém. Por isso, vencer o ciúme significa vencer esse orgulho e egocentrismo.

Psicologia Pastoral – A Ciência do Conhecimento Humano como Aliada Ministerial

Lidando com as emoções e sentimentos – O caminho para a maturidade emocional

Jamiel de Oliveira Lopes – CPAD

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s