O Milênio

       A palavra “milênio” não aparece no Novo Testamento. O termo vem do latim mille, “mil”, e annus, “ano”, portanto “mil anos”; é uma referência aos mil anos mencionados em Apocalipse 20:1_7. Esse período tem relação direta com Isaías 11 e Miqueias 4. O período se inicia com a vinda de Cristo em glória, ocasião em que o anjo vai amarrar e prender a Satanás por mil anos (Ap 20:1). Essa prisão impedirá que ele engane as nações (v.2). É o período da paz universal, o governo de justiça  e paz anunciado pelos profetas (Is 2:3_5; 9:7; 11:1_10; 65:20_25; Mq 4:1_5). A sede desse governo é Jerusalém: “E virão muitos povos  e dirão: Vinde, subamos ao monte do SENHOR, à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine o que concerne aos seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei , e de Jerusalém, a palavra do SENHOR” (Is 2:3). O poder daquele que causa todos os males e as desgraças estará neutralizado nesse período. É a restauração do reino de Davi em Jerusalém (Am 9:11; Zc 8:20_22).

      Sob o governo de Jesus Cristo, haverá saúde nas nações: “E morador nenhum dirá: Enfermo estou; porque o povo que habitar nela será absolvido da sua iniquidade” (Is 33:24). Os cegos, surdos, mudos e paralíticos serão curados (Is 35:5, 6). A morte terá seu efeito reduzido ao máximo (Is 65:20, e a longevidade humana voltará à terra (Is 65:22). A segurança será perfeita, sem assalto, roubo, furto ou violência (Is 65:21_23); as indústrias bélicas serão transformadas em fabricas de instrumentos agrícolas (Is 2:40, e a produção do campo será uma benção (Am 9:13). Até mesmo entre os animais ferozes e perigosos haverá harmonia (Is 11:6_9; 65:25). Trata-se de um período em que “a terra se encherá do conhecimento do SENHOR, como as águas cobrem o mar” (Is 11:9), e as orações de seus moradores serão atendidas antes mesmas de concluídas com o “amém” (Is 65:24). Mas ainda não será a consumação dos séculos; será na verdade um período probatório até que o plano de Deus seja totalmente concluído, quando o Senhor Jesus, depois de ter o domínio sobre todas as coisas, entregará o Reino ao Pai (1ª Co 15:24_28).

       A terra virá a ser um paraíso sob o governo de Cristo, e os seus santos reinarão com ele: “E vi tronos; e assentaram-se sobre eles aqueles a quem foi dado o poder de julgar. E vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos” (Ap 20:4). Aqui estão incluídos os santos do Antigo Testamento e todos os crentes provenientes da era da Igreja, os quais serão investidos de poder para governar a terra (Ap 2:26, 27; 3:21). Os doze apóstolos governarão sobre as doze tribos de Israel (Mt 19:28; Lc 22:30) juntamente com os santos do Antigo Testamento (Lc 13:28, 29). Integrarão o grupo dos súditos de Cristo os mártires da Grande Tribulação (Ap 6:9_11). “Julgar” ou “julgamento” aparece na Bíblia com o sentido de governar ou governo (1ªSm 4:18; 2ªRs 23:22; 2ª Cr 1:11). Esse parece ser o significado aqui.

A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos – Livro de Apoio das Lições Bíblicas do 3ºT 2017 Adulto CPAD

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s