Hermenêutica, Exegese e Homilética

HERMENÊUTICA

Consiste num conjunto de regras que permitem determinar o sentido literal do objeto de estudo, no caso, a Bíblia.

EXEGESE

É o estudo cuidadoso e sistemático da Escritura para descobrir o significado original que foi pretendido. É a tentativa de interpretar conforme os destinatários originais devem tê-la ouvido; de tentar descobrir qual era a intenção original das palavras da Bíblia.

É a disciplina que aplica métodos e técnicas que ajudam na compreensão do texto.

HOMILÉTICA

1) É o estudo dos fundamentos e princípios de como preparar e proferir sermões.
2) É a ciência cuja arte é a pregação e cujo resultado é o sermão.
3) É a arte do preparo e pregação de sermões.

Do ponto de vista etimológico hermenêutica e exegese são sinônimos, mas hoje os especialistas costumam fazer a seguinte diferença: Hermenêutica é a ciência das normas que permitem descobrir e explicar o verdadeiro sentido do texto, enquanto a exegese é a arte de aplicar essas normas. É a disciplina que aplica métodos e técnicas que ajudam na compreensão do texto.

Princípios Básicos

Aqui se encontram dez princípios que devem ser seguidos na interpretação bíblica:

1° – denomina-se princípio da unidade escriturística. Sob a inspiração divina a Bíblia ensina apenas uma teologia. Não pode haver diferença doutrinária entre um livro e outro da Bíblia.

2° – Deixe a Bíblia interpretar a própria Bíblia. Este princípio vem da Reforma Protestante.
O sentido mais claro e mais fácil de uma passagem explica outra com sentido mais difícil e mais obscuro. Este princípio é uma ilação do anterior.

3° – Jamais esquecer a Regra Áurea da Interpretação, chamada por Orígenes de Analogia da Fé. O texto deve ser interpretado através do conjunto das Escrituras e nunca através de textos isolados.

4° – Sempre ter em vista o contexto. Ler o que está antes e o que vem depois para concluir aquilo que o autor tinha em mente.

5° – Primeiro procura-se o sentido literal, a menos que as evidências demonstrem que este é figurado.

6° – Ler o texto em todas as traduções possíveis – antigas e modernas.
Muitas vezes uma destas traduções nos traz luz sobre o que o autor queria dizer.

7° – Apenas um sentido deve ser procurado em cada texto.

8° – O trabalho de interpretação é científico, por isso deve ser feito com isenção de ânimo e desprendido de qualquer preconceito. (o que poderíamos chamar de “achismos”).

9° – Fazer algumas perguntas relacionadas com a passagem para chegar a conclusões circunstanciais. Por exemplo:

  1. a) – Quem escreveu?
    b) – Qual o tempo e o lugar em que escreveu?
    c) – Por que escreveu?
    d) – A quem se dirigia o escritor?
    e) – O que o autor queria dizer?10° – Feita a exegese, se o resultado obtido contrariar os princípios fundamentais da Bíblia, ele deve ser colocado de lado e o trabalho exegético recomeçado novamente.

Fonte: http://institutoedificar.blogspot.com , pesquisa em  19/10/2011.

http://samuca-borges.blogspot.com/2011/11/exegese-hermeneutica-homiletica.html

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s