A igreja além dos cultos on-line

Os cristãos enfrentam o desafio de agir de forma criativa à medida que milhões entram na fase de confinamento. “Isso pode transformar algumas das futuras atividades de nossas igrejas.”

Por Joel Forster

“Emergência” e “alarme” foram algumas das palavras mais ouvidas na Europa, enquanto dezenas de milhões de pessoas começaram a se adaptar a um tempo de restrições e confinamentos. As crianças não podem mais frequentar a escola, as empresas fecharam, e centenas de milhares já perderam o emprego em países como Itália e Espanha, segundo estatísticas oficiais.

“Estamos em guerra”, disse o presidente francês Emmanuel Macron em um discurso televisionado na segunda-feira. “Medidas nunca vistas antes em nosso país” foram anunciadas pela chanceler alemã Angela Merkel. O primeiro ministro italiano Giuseppe Conte sublinhou que “ninguém deve se sentir abandonado”, e o presidente espanhol Pedro Sánchez disse à população que “todos nós temos uma missão”.

Reuniões on-line: a solução mais comum

Quando os eventos se desenrolaram na França, os cristãos de uma igreja em Lyon estavam “organizando uma chamada diária pelo Skype para recuperar o atraso e orar por nossa cidade e uns pelos outros”, disse Tim Kyle no Twitter. “Criamos uma solução no YouTube para o culto de domingo.”

Em Praga, na República Tcheca, as congregações evangélicas também “usaram a videoconferência como uma forma de se reunir virtualmente”, disse James Araucaria, uma solução que permitiu que pessoas de outros lugares do país se unissem. “Estamos planejando usar isso para outros eventos nesta semana”, afirmou. Ferramentas on-line semelhantes foram usadas na Bélgica, diz Herman Spaargaren.

“Somos o templo de Deus”

Na Grécia, a maioria das igrejas protestantes “informava os participantes a serem sábios e ficarem em casa, se necessário”, diz Nico Spies. Uma igreja incentivou todos os membros a “permanecerem em oração comunitária das 19h às 21h como famílias em casa” e a enviar “palavras de consolação e testemunhos” para encorajar uns aos outro. “Não é hora de desistir de nossa vida espiritual, porque somos o templo de Deus, indo ou não a um prédio (igreja)”.

“Converse com alguém com quem você nunca conversou antes. Nossos vizinhos podem nos pedir para orar por eles ”, disseram os líderes da igreja. Nas próximas semanas, as crianças não devem ser deixadas sozinhas com telefones celulares e os pais devem encontrar maneiras de “trazer a realidade de Deus para dentro de nossas famílias”.

Criatividade que “pode formatar o futuro das igrejas”

Na Alemanha, não obstante alguns que “entram em pânico” e “os políticos aproveitando a situação para culpar os outros”, a maioria das pessoas tenta compreender estes novos tempos e “cuidar um do outro” , diz Evi Rodemann.

“Adoro como as pessoas, principalmente os mais jovens, distribuem panfletos nas ruas ou nos quarteirões da casa e oferecem ajuda a idosos e solitários, dispondo-se para fazer compras e cuidar uns dos outro. Existe muito a fazer se nos dispormos a caminhar uma milha a mais.” As igrejas estão pedindo às pessoas para permanecerem conectadas, mas em casa. “Um pastor, em quarentena e agora sofrendo levemente com coronavírus, ofereceu-se para produzir uma lista com os cultos on-line oferecidos pelas igrejas no domingo; em poucas horas ele coletou mais de 200 links de igrejas e a resposta e o compartilhamento foram enormes.”

Outros grupos usam plataformas como Zoom ou Skype para “ler e discutir a Bíblia juntos”. Os cristãos estão “ficando criativos”, acredita Rodemann, e “aprendendo a utilizar melhor os meios” disponíveis. “Isso pode realmente moldar algumas das futuras atividades de nossas igrejas. Existe também muita experimentação e muita alegria.” À medida que o vírus se expande, a chave é “não compartilhar o medo, mas apontar para aquele que pode nos acalmar”.

Compartilhando a esperança do evangelho

Jetteke Noordzij, da Holanda, está reservando tempo para caminhar “oferecendo um pequeno pote de bulbos de narciso aos idosos – um sinal de esperança e do fato de que a morte foi conquistada por Jesus – e ajuda para as compras”. Um homem idoso, ela explica, reagiu com muita emocão ao seu gesto. “Ele era um judeu sobrevivente do holocausto, e esse bloqueio traz muitos sentimentos e lembranças. “A última vez que isso aconteceu, o próximo passo foi nos mandar embora e a maioria nunca voltou”, disse ele.” Jetteke ora para que o homem “encontre o Messias” e que a crise do coronavírus “se torne uma oportunidade para o evangelho na Europa e no mundo!”

Edith Vilamajó, escrevendo do Reino Unido, diz que ela e outras pessoas também estão “se perguntando como falar de uma maneira que possa animar as pessoas a procurar por Cristo”. O desafio é “ser positivo, construtivo, em meio a tantas notícias e opiniões”. Muitos estão criticando o governo, disse ela, mas o desafio é “como mostrar solidariedade, altruísmo, generosidade, independentemente de quais sejam nossos pontos de vista”. “É hora de orar e compartilhar o amor de Cristo com os que estão ao nosso redor. Vamos também orar para que Deus reavive seu povo”.

Voluntários em muitas áreas da sociedade podem ser necessários em breve, e os cristãos são chamados a serem úteis, ela pensa. “Vamos orar por unidade, respeito, compreensão mútua; oremos por nossas autoridades, equipe médica, os mais vulneráveis… Encontramos refúgio no Salmo 91.”

Mais tempo para ler a Bíblia

As restrições de viagem e a suspensão das reuniões da igreja vão criar tempo livre para muitas pessoas. “Esta é uma oportunidade única para conhecer a Deus através da Bíblia, principalmente agora que não estamos nos reunindo juntos”, diz Peter Mead. “Talvez pela primeira vez em nossa vida estejamos percebendo: “Sinto que preciso conhecer mais a Deus.”” “Por que não começar com o Novo Testamento?” ele disse às pessoas da igreja local em uma mensagem de vídeo. “O que podemos aprender sobre o caráter de Deus, a pessoa de Jesus, a obra do Espírito, o que é relevante para nós neste tempo único?”.

Iniciativas de oração têm sido fomentadas em todo o mundo. A Aliança Evangélica Mundial compartilhou sua própria oração. Começa com as seguintes palavras: “Nosso Deus Todo-Poderoso, Criador do Céu e da Terra, como seus filhos que vivem em todos os cantos do mundo, viemos diante de ti hoje para interceder por nossas nações, quase todas atualmente afetadas ou ameaçadas pelo Covid-19. Louvamos a ti por não cochilar nem dormir, e vigiar nossas terras e nossos povos, especialmente em tempos arriscados como esses. Nosso auxílio vem de ti. Clamamos por sua misericórdia e proteção contra esse vírus. Declaramos que somente o Senhor é nosso refúgio – nosso local de segurança. Oramos para que proteja nossos povos desta doença mortal e salve nossas terras dessa perigosa armadilha”.

• Joel Forster é formado em Jornalismo pela Universidade Autônoma de Barcelona (2008), e trabalhou como obreiro do GBU Espanha (IFES na Espanha) por 4 anos. Ele é co-autor do livro “Esencia y Resistencia” (2012), e contribui para o site de notícias diárias Protestante Digital desde 2008, sendo membro de sua equipe editorial principal. Atualmente lidera a equipe do Evangelical Focus ao lado do diretor executivo Pedro Tarquis. Joel e sua esposa Ruth moram atualmente em Valência, na Espanha.

https://www.ultimato.com.br/conteudo/a-igreja-alem-dos-cultos-on-line?

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s