Meus comentários relacionadas à minha ordenação ao presbitério em 2017

       Obviamente, que estes comentários foram registrados à noite, estava cansado e houve algumas colocações disformes, mas, no geral estes comentários tem o selo do Espírito Santo.

       Para quem não me conhece muito bem, sou formado em Bacharel em Teologia pelo SEMINÁRIO TEOLÓGICO BETEL (http://seminarioteologicobetel.com.br/associacao-evangelica-de-fe/). Durante aproximadamente 15 anos congreguei na IPNV Mal Hermes (https://www.icnv.com.br/conheca-a-icnv/nossas-igrejas/icnv-marechal-hermes/), lugar onde aprendi as bases da fé cristã e adquiri maturidade. Dou graças a Deus pelos meus pastores, especialmente pelo Pr Fernando Siqueira do Amor Divino e Bispo Ubirajara. O discipulado ao longo destes anos foi, está sendo e certamente será muito importante para os dias vindouros. Há alguns anos fui ordenado ao Diaconato pela IPNV Mal Hermes (28/03/2004), local onde exerci o diaconato principalmente na área de oração e Escola Dominical (SETEB), e durante um bom período tive uma participação ativa no evangelismo em local de trabalho (GERE-Grupo Evangélico da REDUC). Dou graças a Deus por este grupo e os que nele conheci ao longo destes anos, sendo inclusive líder(***) do mesmo durante algum tempo, antes de ser transferido para o CENPES.

***Trazendo a memória minha vida eclesiástica e profissional como um todo, sempre fui esforçado. Não me lembro no momento se exerci a liderança nestas áreas, mas eu já exerci a liderança durante alguns anos em um grupo evangélico em local de trabalho.
Igualmente, estas reuniões relativamente curtas (+/- 30 minutos), durante o tempo que frequentei e me tornei líder do GERE (Grupo Evangélico da REDUC), apresentavam uma frequência normal de apenas algumas dezenas de pessoas por semana apesar de haver milhares de trabalhadores, quer sejam contratados ou concursados na REDUC, até por causa da logística de deslocamento do ambiente de trabalho ou restaurante para o local das reuniões. Mesmo porque as reuniões ocorriam no auditório, mini-auditório ou uma das salas do pessoal da área de recursos humanos, no prédio do Superintendente, localizado no coração da REDUC, local geograficamente de fácil acesso a todos os funcionários concursados e/ou terceirizados, até por que lá existem um pool de bancos diversos e um posto da EBCT. Ademais, o prédio do Laboratório localiza-se em frente ao prédio da superintendência, que facilitava o meu deslocamento.
E esta liderança não é algo “institucionalizado”. Não haviam normas para se exercer este tipo de liderança.
Havia, sim, envolvimento e creio eu, que em um determinado momento fui escolhido devido ao meu envolvimento no evangelismo em local de trabalho.

Igualmente, esta liderança tem mais a ver com:

a)Seleção do dirigente de louvor para um ou dois hinos, a cada semana;

b)Seleção do pregador com mensagens curtas de +/- 15 minutos, por semana;

c)Escolha do local de reunião;

d)Entrega de uma Bíblia ao Gerente Geral recém-empossado na Refinaria (Local de Trabalho), além de comentar das reuniões do Grupo Evangélico em uma das salas ou auditórios do prédio do superintendente, com reuniões que acontecem nos intervalos de almoço de +/- 30 minutos;

e)Organização de um evento, ao final do ano, de ação de graças envolvendo todos os grupos evangélicos em local apropriado (Ex.: CREDUC; Auditório do superintendente, etc.), e para que tal encontro aconteça isso demanda a participação e auxilio de várias pessoas na organização, seleção e escolha das tarefas individuais.

Só que nós que exercemos uma liderança em grupo evangélico em local de trabalho devemos sempre nos lembrar de que existem normas em nossos ambientes de trabalho que não podem nem devem ser menosprezadas, até mesmo pelo nosso testemunho pessoal. Porque as pessoas a nossa volta nos observam. Então, aquele ensinamento do Sr Jesus, é tão atual quanto necessário.

Mt 10:16
“Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudente como as serpentes e inofensivos como as pombas.”

Então, se eu como trabalhador comum tenho legalmente direito a uma (1) hora de almoço e reservo este tempo para tal ou aproveito parte desta hora para outros afazeres este é um direito nosso, que as normas celetistas nos garantem.

Eu posso, por exemplo, não almoçar e reservo este tempo para ler algo (Ex.: Um livro qualquer; revista; jornal; etc.) ou descansar, praticar alguma atividade física em local apropriado e porque não ler ou estudar as Escrituras Sagradas, formar grupos de estudos bíblicos.

São estes detalhes que fazem a diferença para ter alguém que possa pelo menos organizar estas atividades.

Por isto, que não se pode chamar qualquer um para uma liderança em grupo evangélico em local de trabalho.

Então, neste contexto, não me considero um líder exemplar, pois a capacidade de delegar, dividir as tarefas não me era comum.

Procurava alguém com tempo e disposição para assumir alguma responsabilidade e nada;
Então, o que fazia?
Sobrecarregava-me. Por isto não me considero um bom líder. Considero-me um líder esforçado, dedicado, detalhista.

A meu Senhor Jesus, só tu mesmo para tratar este servo, para me moldar e me dar descanso.

Obrigado por tudo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s