Rede Mãos dadas

REDE MÃOS DADAS

QUEM SOMOS

Por que estamos juntos?

2011_03_23-24_maos_dadas_sp_d700-2242

A Rede Mãos Dadas é composta por 36 parceiros institucionais e tem como objetivo fortalecer a sociedade brasileira em geral e especificamente cristãos evangélicos em suas ações voltadas à promoção das crianças e adolescentes em situações de vulnerabilidade social para uma vida digna na qual tenham seus direitos garantidos e exerçam sua cidadania de maneira integral.

Como trabalhamos?

Os 36 parceiros institucionais da Rede Mãos Dadas trabalham com o objetivo de fortalecer a resposta cristã dada aos problemas vividos pelas crianças e adolescentes mais vulneráveis. Trabalhamos para:

Unir – Somos uma rede de instituições, igrejas e pessoas unidas pela mesma fé. Nos preocupamos pela mesma causa, a criança, e nos articulamos em ações de cooperação.

Informar – Publicamos periódicos e mantemos uma plataforma de comunicação na internet.

Mobilizar – Promovemos campanhas de oração e de mobilização da sociedade para a promoção dos bons tratos para com a criança.

Capacitar – Promovemos  algumas metodologias importantes para o enfrentamento das questões mais críticas vividas pelas crianças e adolescentes. Hoje, as duas metodologias promovidas pela rede são: Programa Claves Brasil e Um Lugar Seguro

Quais são os eixos temáticos da rede?

  • A mobilização da igreja – Acreditamos que cada comunidade de fé cristã tem uma responsabilidade social pelas crianças daquela localidade.
  • A reflexão teológica sobre a criança – Nossos líderes cristãos precisam levar a sério a ordem de Jesus de considerar a criança como um importante membro do seu reino, e incluí-la em nossas reflexões teológicas se quisermos ser fiéis ao nosso mestre e relevantes para a sociedade que nos cerca.
  • O fortalecimento do agente social cristão – O apoio a pessoa cujo trabalho implica um contato constante com as crianças é fundamental. Incluímos no termos “agente social cristão” todos os profissionais de atenção básica à criança que estejam envolvidos nas escolas, igrejas, postos de saúde ou projetos sociais comunitários.
  • A promoção de políticas públicas e a defesa de direitos – reconhecemos a importância da ação do Estado na garantia dos direitos das crianças e adolescentes.
  • A integração regional – O Brasil é um país de grandes desigualdades. Uma delas está na concentração de recursos no sudeste em detrimento das demais regiões. Nossa ação de integração visa buscar ativamente a integração de organizações, igrejas, e pessoas envolvidas na causa de criança nos quatro cantos do Brasil de forma intencional e respeitosa das diferenças regionais.

 Como começamos?

“Onde foi que a Rede Mãos Dadas começou? Uns dizem que foi no Clade IV em 2000 quando alguns  líderes de organizações cristãs envolvidas no trabalho com crianças no Brasil se reuniram mediados pela então Viva Network (hoje Viva).  Entre eles estavam Derci Gonçalves, então diretor da Compassion e o Serguem Jesui da Silva, então diretor da Visão Mundial. Outros dizem que foi quando o médico aposentado inglês John Collier veio ao Brasil como facilitador da Viva Network e trouxe na bagagem a ideia de criar uma revista que seria sustentada por várias organizações e que teria o objetivo de fortalecer o trabalho realizado entre crianças e adolescentes vulneráveis.

Para mim, a revista, que mais tarde daria origem à rede, começou na sala de visita do Rev. Elben Lenz César, em Viçosa, MG, numa conversa com John Collier e Tereza Cristina Belchior dos Santos, no segundo semestre de 2000. Fui chamada para a conversa porque a Dona Deja (esposa do Rev. Elbem) sabia do meu interesse em colocar as minhas habilidades com a palavra escrita à serviço da causa da criança.

Daquela conversa inicial surgiram outras. Lembro-me de uma conversa do John Collier desta vez com a Klênia Fassoni, (diretora da Editora Ultimato) na qual ela apresentou os custos de produçâo para uma primeira edição da revista. Ela disse ao John Collier que um bom mineiro só faz negócio depois de comer um quilo de sal juntos. Leva tempo para consumirmos tanto sal. São muitas refeições, muita conversa, muito relacionamento.

Depois a Klênia se encontrou com Mônica Bonilha (na época assessora de comunicação da Visão Mundial) em Belo Horizonte e criaram a estrutura da revista que permaneceu a mesma por 10 anos. Tem também a minha conversa com o João Martinez, então facilitador da Tearfund para o Brasil. Perguntei sobre a proposta que o John Collier tinha lhe enviado e se a Tearfund já tinha uma posição. Ele, com aquele jeito diplomático e cuidadoso de sempre, me explicou o processo para aprovação de propostas. Sua opinião era bem positiva mas não deixou de apontar o que ele cria ser um ponto fraco:  a sustentabilidade.

O Serguem nos deu o impulso inicial empenhando recursos para a Edição 0, uma espécie de protótipo da revista. A Sônia Couto, recém-formada em design, nos presenteou com a logomarca que também continua a mesma até hoje e o Giovanni Scaraccia, jornalista da UFV, nos ajudou na fase inicial além de prestar seu registro como jornalista nos primeiros anos da revista.

E durante todos estes movimentos, aconteceram muitas visitas do John Collier a Viçosa, muitas refeições, muito sal e uma grande amizade.

O nome “Mãos Dadas” surgiu no meio da noite. Acordei com a frase “De mãos dadas iremos…” fortemente estampada em minha mente. Me levantei, anotei  num pedaço de papel e voltei a dormir. De mãos dadas expressa para nós a esperança de dar as mãos às crianças e adolescentes brasileiros que lutam por uma vida digna; de fazer isto juntos, com muitas mãos; e de segurar as mãos uns dos outros quando a realidade terrível a que são submetidas nossas crianças nos afeta e angustia profundamente a nossa alma.

Quanto ao sal, posso dizer que tive o grande privilégio de consumir muito, muito sal nestes 10 anos com muitas pessoas, mas em especial com o Lissânder, meu amigo e irmão, que chegou como estagiário e se tornou o coordenador da Rede Mãos Dadas, e com a Klênia que abriu as portas da Editora Ultimato para abrigar a princípio uma revista, depois uma rede, por 10 anos!”

Assista a seguir ao vídeo preparado pela Rede Mãos Dadas para a Campanha Meu Educador Social Cristão.

http://www.redemaosdadas.org/

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s