Um clamor em meio à crise do coronavírus

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aliança Evangélica Mundial (WEA) pede orações

Em meio à disseminação contínua do coronavírus, agora chamado COVID-19, a Aliança Evangélica Mundial (WEA) convida as igrejas a participarem das orações pelos milhões que estão sendo afetados direta e indiretamente.

O secretário-geral da WEA, bispo Efraim Tendero, disse: “Temos acompanhado com preocupação as notícias do surto e a propagação do COVID-19 nas últimas semanas, primeiro na China e depois internacionalmente, e sabemos que muitos em nosso círculo mais próximo já estão orando pelos afetados. Agora gostaríamos de pedir especificamente às igrejas e aos crentes, que tirem um tempo para orar para que Deus intervenha nesta crise e impeça que o vírus se espalhe ainda mais”.

O COVID-19 já infectou dezenas de milhares de pessoas, provocando até agora a morte de cerca de 1.400. “Expressamos nossas condolências pelos que perderam entes queridos e oramos por uma recuperação rápida e completa dos que ainda sofrem com a doença”, comentou o bispo Tendero. E acrescentou: “Também estamos conscientes da situação muito desafiadora dos milhões que têm permanecido em quarentena por semanas nas cidades chinesas afetadas, e a crescente preocupação com a situação econômica que afetará muitos indivíduos e famílias, mesmo depois que a crise de saúde já tiver passado. Por favor, junte-se a nós em oração, como uma família global de crentes preocupados com nossos irmãos e irmãs em Cristo, seus entes queridos e muito além”.

Especificamente, você pode orar por:

  • sabedoria aos governantes enquanto respondem à crise imediata, e, em primeiro lugar, às autoridades na China, onde a situação é mais grave;
  • um cerco eficiente à disseminação do vírus e que o número de novas infecções diminua rapidamente;
  • o rápido desenvolvimento de uma vacina eficaz;
  • ânimo e esperança para que os mais afetados na província de Hubei perseverem, apesar do bloqueio contínuo de suas cidades;
  • aqueles que já são ou logo serão afetados pelas consequências econômicas oriundas da crise na saúde, especialmente aqueles cujos meios de subsistência podem ser ameaçados devido à perda de seus empregos.

“Estamos tristes com o crescente número diário de pessoas infectadas e de pessoas que perderam a vida devido ao vírus, e oramos com urgência por uma rápida reviravolta na situação, mas também mantemos a esperança em nosso Deus amoroso que intervém de maneiras visíveis e invisíveis em tempos de tragédia”, afirmou o bispo Tendero. “Somos gratos por uma resposta muito mais rápida ao vírus atual do que a que havia sido dada no passado; agradecemos porque a grande maioria das pessoas infectadas está passando por uma recuperação total; e oramos para que a presença de Deus, sua paz e conforto que a tudo superam estejam com aqueles que perderam seus entes queridos. Juntamente com o salmista, oramos: ‘Descanse somente em Deus, ó minha alma; dele vem a minha esperança’” (Salmo 62.5).

 
Nota
Publicado originalmente no site da Aliança Evangélica Mundial (WEA). Reproduzido com permissão.
Traduzido por Reinaldo Percinoto Jr.
 
 

Eu também me incluo neste clamor não só pela China, como também por outras nações espalhadas na face da terra, mesmo porque já disponibilizei muita coisa associado à China e a Hong Kong. Peço a Deus graça e misericórdia sobre os povos e sabedoria, na medida de suas necessidades às autoridades para lidar com estas situações minimizando os efeitos desta enfermidade sobre as pessoas em geral.

Totalitarismo e Lockdown

por Artigo compilado

A DIFERENÇA RADICAL ENTRE TOTALITARISMO E TIRANIA

O totalitarismo é algo radicalmente diferente, até radicalmente diferente da tirania. O totalitarismo é governado por leis naturais – ela quer dizer leis da natureza, não lei natural no sentido escolástico. O nazismo governou baseados em supostas “leis naturais” biológicas extraídas de Darwin e seus seguidores – conceitos de superioridade racial, sobrevivência dos mais aptos, etc. Os comunistas governavam por “leis naturais” de classe, história e economia – a luta de classes, a luta contra o capitalismo, Os marxistas traçam paralelos entre essas leis e as estabelecidas por Darwin. “Como Darwin descobriu a lei da evolução na natureza orgânica”,  disse Friedrich Engels , “Marx descobriu a lei da evolução na história humana”.

É digno de nota que, embora pensemos em Hitler e Stalin como tiranos, Arendt diria que eles não eram realmente tiranos no sentido que ela quis dizer. Os tiranos são arbitrários e os totalitários não. Por exemplo, Calígula (um tirano clássico) poderia transformar seu cavalo em senador, apenas por capricho. Hitler não poderia ter feito de um judeu seu ministro da defesa, e Stalin não poderia ter feito de um capitalista seu ministro do interior.

Os tiranos são menos perigosos porque não estão apegados à ideologia inalterável. Nesse sentido, Augusto também era um tirano – ele tinha completo poder pessoal -, mas seu governo era na maior parte racional e humano. Os totalitários são muito mais perigosos do que os tiranos porque estão absolutamente comprometidos com uma ideologia, e essa ideologia tem precedência sobre todas as outras considerações – sobre o direito positivo, sobre o direito moral, sobre relacionamentos pessoais. Esperava-se que os alemães entregassem judeus à Gestapo, mesmo que o judeu fosse seu amigo. Esperava-se que os cidadãos soviéticos entregassem parentes que não compraram o comunismo ao Cheka, até parentes próximos, como pais.

O totalitarismo é excepcionalmente perigoso, porque é objetivamente impulsionado e não controlado por quaisquer outras considerações. É muito eficaz no sentido de destruir sistematicamente a oposição de uma maneira organizada que tiranos, teocratas, etc. tendem a não fazer.

REGRA PELO MEDO

Arendt observou que os totalitários trabalham usando o terror. Ela definiu terror como o uso completamente arbitrário do medo. O objetivo do terror é desorganizar completamente a sociedade e desorganizar o pensamento individual. Você nunca pode prever, nunca pode saber o que está por vir. Essa desorganização é essencial porque deixa apenas a ideologia dominante – a lei natural – como princípio norteador. A luta é o  único  princípio organizador, e essa é a essência do sistema totalitário. Somente a lei natural – apenas a luta – importa, e a guerra é perpétua. Sob o totalitarismo, as pessoas ficam aterrorizadas e paralisadas – Arendt costumava usar a palavra “paralisado”. As pessoas em um estado totalitário são como gado em pânico, para serem criadas, abatidas e usadas para promover a ideologia e vencer a luta perpétua. Terror e paralisia são os pilares da política pública em estados totalitários.

O bloqueio do COVID-19 não é totalmente totalitário, é claro. Embora “estejamos mais próximos de um estado policial do que nunca na história brasileira ( e também em outros países), um “’estado policial’ não significa estado totalitário. A América não é um estado totalitário; ainda temos muitas liberdades. ” Mas podemos traçar alguns paralelos. Os defensores do bloqueio radical provocam medo (como você pode observar pelos veículos de mídia). Eles são arbitrários ( Você pode ir ao supermercado, mas não ao shopping center).  Um exemplo notável dessa arbitrariedade é a ameaça de alguns governadores e prefeitos de prender pessoas por estarem andando nas ruas enquanto não fizeram nada durante o carnaval.

http://www.cacp.org.br/totalitarismo-e-lockdown/

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s