Fidelidade a Deus

A fidelidade a Deus é uma marca daqueles que decidiram viver de acordo com a sua Palavra mantendo um compromisso de fazer o que é certo e evitar o erro. Até onde estamos dispostos a ir com Deus? Até que ponto somos capazes de professar nossa fé e anunciar o evangelho de Cristo a qualquer custo? Quando realizamos nossa profissão de fé, fizemos uma aliança com Deus de fidelidade. Assumimos um compromisso para sermos fiéis a Ele em quaisquer circunstâncias. Deus sempre cumpre a sua parte, pois Ele é fiel e verdadeiro. Ele nunca falha. Precisamos permanecer fiéis até a morte para nos tornarmos vencedores.

1-Princípios de Fidelidade

       Na sociedade hodierna, está cada vez mais difícil encontrarmos pessoas fieis aos seus princípios, pessoas que se mantenham firmes  diante das suas promessas para com Deus e para com os outros.

       A infidelidade e a traição tornaram-se, na atualidade, algo cada vez mais comum. A passagem em Provérbios 20:6 mostra-nos que é uma raridade encontrarmos alguém fiel: “Cada qual  entre os homens apregoa a sua bondade; mas o homem fiel, quem o achará?”.

       Como cristãos precisamos ser um exemplo para o mundo. O apóstolo Paulo ensina-nos que nossa posição exige fidelidade: “Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel” (1ª Co 4:2).

       Fidelidade é um dos elementos que fazem parte do fruto do Espírito e pode ser cultivada:

Gl 5:22

“Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade,”.

Devemos cultivar essa virtude e nunca abandoná-la:

Pv 3:3

“Que o amor e a fidelidade jamais o abandonem; prenda-os ao redor do seu pescoço, escreva-os na tábua do seu coração.”

Um viajante que percorreu a Síria observou três pastores de ovelhas que estavam justamente dando de beber a seus rebanhos junto a um poço. Os três rebanhos estavam todos misturados; um estranho poderia pensar que se tratava de um rebanho só.

Logo se levantou da beira do poço um dos três pastores e chamou: “Men-ah!men-ah” — “venham comigo” em árabe. Imediatamente, umas 30 ovelhas foram separadas do grupo todo e seguiram a seu proprietário morro acima. O segundo pastor também se afastou um pouco e exclamou seu “men-ah!men-ah” e seguiu com seu rebanho.

Admirado, o estrangeiro perguntou ao pastor que ainda tinha ficado:

-Suas ovelhas me seguiriam se eu as chamasse?

-Por que você não experimenta? – respondeu ele.

-Nem mesmo se eu usasse sua capa e seu cajado?

Sem nada dizer, o sírio ofereceu a seu visitante sua capa, o cajado e o turbante e ficou observando, com um sorriso nos lábios, como o estranho clamava seu “men-ah!men-ah”. As ovelhas chegaram a apontar as orelhas, alguma até olharam para ele meio desconfiadas, mas não se moveram do lugar.

-Elas jamais seguiriam a qualquer outro? Só a você? Perguntou o estrangeiro.

-Jamais. Somente quando a ovelha está doente, a criatura boba segue a um estranho – respondeu o oriental.

Precisamos ser fieis  a Deus em tudo porque Deus é fiel e nunca falha conosco. Mesmo que permaneçamos infiéis, Ele continua fiel: “Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo” (2ªTm 2:13).

2 – Prova de fidelidade

     Deus muitas vezes testa nossa fidelidade. Certa vez, Ele exigiu de Abraão que sacrificasse seu único filho. A exigência de Deus parecia ir de encontro à promessa que Ele havia feito a Abraão de torná-lo numa grande nação, Pela sua fidelidade, Abraão não questionou a Deus; antes obedeceu porque acreditava naquilo que o Senhor prometera a ele (Gn 22:1_18).

 Jesus também testou um jovem rico que dizia conhecer todo os mandamentos. Ao abordá-lo, Jesus disse que, para segui-lo, era necessário ele vender tudo o que tinha e repartir com os pobres. Aquele moço ficou desapontado por amar mais suas riquezas do que a Deus (Lc 18: 18_24).

       Há, também, inúmeras situações que acontecem em nossas vidas que servem para provar nossa fidelidade para com Deus. Quantas vezes somos tentados a abandonar a fé quando enfrentamos tribulações, tentações, provações e perseguições. A Bíblia, no entanto, diz-nos que Deus é fiel e não deixará  que a provação esteja acima da nossa capacidade de suportá-la. (1ªCo 10:13).

3 – Fidelidade e responsabilidade 

       A fidelidade é caracterizada pela responsabilidade e cumprimentos aos votos feitos. Quem é fiel, é responsável. A responsabilidade está ligada a formação do caráter. Ser responsável é aprender a subordinar seus desejos e inclinações à ordem moral e à vontade de Deus. 

      A fidelidade não pode estar arraigada a interesses pessoais. Algumas pessoas se submetem a determinadas exigências, buscando tirar proveito de algo. Sua fidelidade está condicionada àquilo que lhe é conveniente e, quando alcança o que deseja, mostra sua infidelidade através de suas atitudes.

       Precisamos agir por amor e caminhar com a fidelidade sem interesses. Em breve, Deus pedirá contas da nossa vida: “De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus” (Rm 14:12).

       Respeite esse princípio e você terá uma vida abundante. Aprenda a assumir responsabilidades em todas as coisas. Antes de agir, pense sempre nas consequências advindas das suas decisões. Imagine só o que teria acontecido se alguma das famílias dos filhos de Israel que estavam no Egito não tivesse dado ouvidos a Moisés quando  ele exigia que fosse imolado um cordeiro para a páscoa e colocado sangue nos umbrais das portas como sinal? Com certeza, o filho primogênito de cada família teria morrido (Ex 12:1_13). Às vezes, o descuido ou falta de responsabilidade lava-nos a situações drásticas.

       Havia um homem que tinha um filho ainda jovem mas muito desobediente. Até que um dia tomou uma resolução, cada vez que o filho desobedecesse, ele colocaria um prego no poste de madeira em frente a casa. Por ouro lado, à medida que ele fosse mudando de atitude os pregos iriam sendo  tirados. Aquele filho continuou na sua desobediência até que percebeu  que no poste já havia muitos pregos e ele resolveu mudar de atitude até que um dia todos os pregos foram retirados. Então, seu pai chegou para ele e disse para o filho: – Está vendo meu filho, já não há mais nenhum prego ao que o filho suspirando respondeu tristemente.;- mas as marcas continuam lá.

       Devemos seguir estes conselhos, buscando a fidelidade que gera responsabilidade e que nos faz permanecer firmes. 

4 – Resultados da fidelidade  

       Quem é fiel desfruta das bençãos de Deus (Pv 28:20). O rei Ezequias, ao saber que iria morrer, orou ao Senhor, mostrando-lhe sua fidelidade: “Ah! Senhor! Sê servido de te lembrar de que andei diante de ti em verdade e com um coração perfeito e fiz o que era reto aos teus olhos” (2ª Re 20:3). Como resultado da sua oração, ele viveu mais 15 anos. 

       Deus honra aquele que é fiel: “Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo? (Mt 24:45). Quem é fiel no pouco Deus o colocará sobre o muito (Mt 25:21).

       Precisamos refletir sobre nossa conduta diante de Deus. Será que temos sido fiéis em tudo? Se temos sido infiéis ou, eventualmente, cometemos algum pecado, devemos suplicar o perdão e voltar ao procedimento cristão. Quem tropeça e cai deve levantar-se imediatamente, renovando sua aliança com Deus. Precisamos ser fiéis até o fim. Quem permanecer fiel até a morte receberá a coroa da vida (Ap 2:10).

Psicologia Pastoral – A Ciência do Conhecimento Humano como Aliada Ministerial

Jamiel de Oliveira Lopes – CPAD

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s