Índia – Casamento Hindu

Autoria de LuDiasBH

 

casind

Os casamentos na Índia obedecem às várias tradições, variando de acordo com a casta, a região, a cultura e os costumes das mais diversas etnias que compõem o mosaico indiano. Embora encontremos exceções nos dias de hoje, muitos dos casamentos entre hindus são arranjados pelas famílias dos noivos, a fim de reforçar os laços familiares, que são muito importantes na Índia. Muitos hindus acreditam que uma pessoa solteira não possui status social. Por isso, o casamento hindu é considerado uma união sagrada e imutável. E, se um filho ou filha não casar, gera uma grande tristeza para a família.

Os pais buscam companheiros especiais para seus filhos, levando em conta a mesma religião ou casta das famílias. A aliança é arranjada depois que consultam os mais velhos da família e os astrólogos comparam horóscopos, castas, contexto familiar e social. Quando o casamento é arranjado, as duas famílias entram em uma relação mais profunda, de modo que, ao surgirem problemas na vida do novo casal, ambas  trabalham juntas, para resolvê-los.

Um casamento hindu mais parece uma maratona para os noivos e sua família. Exige uma cerimônia bem elaborada, que passa por diversas fases.  A duração pode levar vários dias. Já na semana anterior ao casório, vários rituais são feitos, principalmente aqueles ligados à fertilidade, pois uma mulher estéril é descriminada, principalmente pela sogra que, na maioria das vezes, não é lá flor que se cheire,e quer descontar na nora, aquilo que passou debaixo das garras da mãe de seu marido.

As mãos da noiva, assim como as de suas amigas, recebem lindos desenhos de henna, antes do casamento. Pela exuberância desses pode-se saber a qual casta pertence a noiva. Os corpos dos nubentes passam por intensa massagem com óleos perfumados, com as mais variadas essências, enquanto eles cantam mantras, de modo a purificar o corpo e a alma, antes da cerimônia. As irmãs do noivo costumam roubar-lhe os sapatos, para que o irmão lhes dê, em troca, presentes em ouro, ao devolvê-los.

No dia do casamento, o noivo chega à casa da escolhida conduzido por uma procissão, às vezes montado num cavalo branco, de turbante e espada. Durante a festa, para testar a coragem e o vigor do moço, um parente da noiva desafia-o para uma luta. Assim poderá ver se o cavalheiro está apto para defender a honra de sua futura esposa. O sacerdote invoca as bênçãos de Brahma para o casa, e se dirige a seus antepassados, pedindo-lhes para abençoar aquela união.

Iogurte e mel são oferecidos pela noiva ao futuro marido, como indicativo de sua pureza e doçura. Ambos trocam um colar, colocado durante a cerimônia no pescoço um do outro. Ao final, o pai entrega a filha ao marido, e eles trocam seus anéis. O ambiente é purificado com óleos e essências, enquanto os pombinhos fazem juras de amor eterno. No final da cerimônia, pisam numa pedra para simbolizar a força do amor de ambos. Mas a festa não para por aí. Mesmo depois de casados existem outras cerimônias a cumprir na nova casa. Levam consigo uma chama sagrada, que devem manter acesa. Primeiro entra a noiva com o pé direito e, depois, o noivo. A seguir, ficam em silêncio até o cair da noite, para que, sob um céu estrelado, prestem homenagens a seus antepassados.

A joia indiana está fortemente ligada ao casamento, pois existe uma grande necessidade de torná-lo visível aos olhos da sociedade. A Índia é regulada pelas regras do casamento e da religião. Ao término do ato do casório é comum o pai da noiva dizer para o genro: “Agora eu lhe entrego esta menina adornada de ouro”. Como veem, o ouro tem grande valor junto a esta cultura, que, embora alguns julguem espiritualizada, é na verdade muito materialista.

Embora o dote seja “oficialmente” ilegal nesse país, tal prática sobrevive com muita força. O único bem pertencente à mulher são as joias, que ela recebe da sua família ao se casar. Caso o casal venha a se divorciar, ela vai ter direito de levar apenas suas joias. Nada mais! Todo o resto fica para a família do marido. E se vier a se enviuvar, grande azar para uma mulher hindu, ela não poderá mais usar nem mesmo essas joias em seu corpo, mas poderá passá-las às filhas. Em razão da importância de tal adereço, o metal utilizado nas cerimônias de casamento é sempre o ouro (de acordo com a casta, é claro). Simboliza a deusa Lakshmie é sinônimo de pureza e abundância, sendo proibido o seu uso nos pés.

Na Índia, setembro e março são os meses eleitos para os casamentos. As joalherias ficam entupidas de famílias ricas, para escolherem as joias mais vistosas que irão enfeitar a noiva. Algumas peças são indicadoras da casta ou da religião, e não podem ser usadas por outras castas ou pessoas oriundas de outros credos. Assim, enquanto num casamento ocidental o símbolo da união é o uso de alianças, na Índia, a noiva se casa carregada de ouro. Como diríamos por aqui, parecendo “uma árvore de natal”.

As peças mais utilizadas são:

  • Nath (brinco de nariz);
  • Bor (adorno usado na testa);
  • Paizeb (tornozeleira com sininhos) e os populares anéis nos pés (somente em prata);
  • Mangalsutram é a peça mais tradicional, que vem do sânscrito “mangal” (próspero, abençoado) e “sutram” (cordão).

O cordão de casamento só pode ser retirado em caso de morte do marido. É tecido com finas linhas de algodão tingidas de amarelo. São 108 pedaços de linha trançados (esse é um número de sorte para os indianos). Um pingente é colocado no cordão para atrair ainda mais sorte.

Notaimagem copiada de http://www.noivas.net/cerimonia-de-casamento-hindu

https://virusdaarte.net/india-casamento-hindu/

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s