Perturbações Psicossomáticas

       As emoções podem ser úteis, mas também prejudiciais; podem atender aos objetivos de ajustamento suave e solução de problemas, mas também podem interferir nessas intenções. Os estados emocionais mais duradouros, conhecidos como disposição ou temperamento, podem, sob certas condições, manter tensão interior e ter consequências físicas prejudiciais. Tais dificuldades são estudadas como perturbações psicossomáticas.

     Os estados emocionais sentidos na vida diária são complexos. Mudanças amplas são comuns a todas as emoções intensas. As respostas ao medo, por exemplo, fazem com que ocorra a liberação de um hormônio chamado adrenalina, que é lançado na corrente sanguínea. As respostas à cólera (raiva) proporcionam a combinação entre a adrenalina e a noradrenalina. Cada uma dessas reações é regulada através da divisão simpática do sistema nervoso autônomo, que tem como efeito:

  • Elevar a pressão do sangue;
  • Aumentar o açúcar no sangue;
  • Fazer com que a coagulação do sangue aconteça mais rapidamente.

     Numa situação de medo, ocorrem, entre outras, as seguintes mudanças fisiológicas:

  • Cessam os movimentos digestivos do estômago;
  • Aumenta a pressão do sangue;
  • Acelera-se o ritmo do coração;
  • A adrenalina é lançada na corrente sanguínea.

        Hoje, os médicos reconhecem um grupo de doenças que eles denominam de perturbações psicossomáticas; embora os seus sintomas sejam somáticos, isto é, sintomas de perturbação em órgãos ou tecidos do corpo, as circunstâncias parecem residir na vida emocional da pessoa.

      Estudos comprovam que mais de 85% das doenças são de causas emocionais. A úlcera no estômago, por exemplo é uma das doenças mais comuns, que geralmente se inicia com uma gastrite causada por mudança na tensão muscular e na distribuição de sangue nas paredes do estômago, resultante de estados emocionais frequentemente repetidos e de longa duração. Excessivas secreções digestivas despertadas por emoção intensa podem ter efeitos químicos que acentuam o ferimento.

     A intensidade emocional influi no papel da emoção. As emoções leves são estimulantes, mas as emoções intensas são, às vezes, perturbadoras, podendo levar a doenças renais.

Psicologia Pastoral – A Ciência do Conhecimento Humano como Aliada Ministerial

Jamiel de Oliveira Lopes – CPAD

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s