Louvor e Adoração

Este slideshow necessita de JavaScript.

Temos a tendência de associar os verbos louvar e cantar. Entretanto devemos ter em mente que estas duas palavras não são sinônimas, ou seja, louvar pode ser diferente de cantar. Isto também ocorre entre os verbos louvar e adorar.

Apesar de os associarmos, louvar pode ser diferente de adorar. E diante disso, precisamos responder às seguintes perguntas:

  • Que diferença a Bíblia faz entre louvor e adoração?
  • Louvor e adoração não são a mesma coisa?
  • Se não posso cantar determinada música na igreja, então aquela música é pecaminosa?
  • Existe alguma música de louvor a Deus que não seja apropriada para a casa de Deus?

Na Língua Portuguesa

O Que é Louvor

A palavra louvor significa “ato de louvar, aplauso, elogio, encômio. Apologia de uma obra meritória”. Tem como antônimo “censura e crítica”. Sendo assim o louvor pode ser dirigido a pessoas, instituições, ideologias, objetos, lugares, animais, e outras coisas, através de elogios, aplausos, cânticos, falas poéticas, apologéticas, informais, etc. Por exemplo, quando cantamos o Hino Nacional Brasileiro, estamos louvando o Brasil.

Portanto louvar significa “admirar, falar bem, elogiar, engrandecer”. Diariamente, estamos louvando muitas coisas ao nosso redor. Quando louvamos a Deus, estamos admirando os atributos do Seu caráter: fidelidade, bondade, amor, longanimidade, retidão, justiça, misericórdia, etc. Usamos as expressões dos nossos anseios para fazer isto. Qualquer um pode fazer isto. A natureza, por exemplo, também pode louvar a Deus (Salmos 19:1). Louvor é algo que qualquer um pode dar a qualquer coisa ou pessoa (Salmos 9:11;33:2;67:3;42:12).

O Que é Adoração

O vocábulo adoração deriva da palavra em latim adorare, que etimologicamente vem a ser “falar com”. O dicionário define seu significado como “ato de adorar; culto a Deus; amor profundo”. É render culto a Deus, coisas ou pessoas considerados como sendo santos. É prostrar-se diante de algo em “sinal de reconhecimento, rezar, idolatrar, amar apaixonadamente”.

O Sentido Destas Palavras na Bíblia

Adoração

Há duas palavras no Antigo Testamento significando adoração:

  1. Uma delas, em certos lugares, tem o sentido de fazer “reverência”, “inclinar-se” (Daniel 2:46; 3:5);
  2. A outra, usa-se a respeito do culto prestado ao Senhor e a outros deuses ou objetos de reverência religiosa (Gênesis 24:26, 48; Êxodo 34:14; Deuteronômio 4:19).

A palavra traduzida mais freqüentemente para adorar é o vocábulo hebreu shachah, que aparece mais de 170 vezes na Bíblia hebréia com o significado de “adorar, prostrar-se, inclinar-se” (Êxodo 34:8; Salmos 66:4; 95:6; Zacarias 14:16). A outra palavra é abhôdhâ, que significa servir com temor reverente, admiração e respeito.

No Novo Testamento, a palavra principal para adoração deriva da palavra grega proskyneo. “Pros” significando “até” e “kuneõ” “beijar”; ou seja, beijar a mão de alguém, como sinal de consideração, fazendo-se uma inclinação respeitosa. Proskyneo é usada quase 60 vezes com o sentido de fazer reverência, prestar obediência, adorar a Deus, reverenciar a Jesus Cristo, idolatrar (Mateus 4;10; Marcos 5:6; Atos 7.43 – cf. Apocalipse 9:20; 14:9; 22:8). Há ainda a palavra grega latreia, que origina palavras como idolatria.

M. Giovani Bianchini, menciona que, de acordo com a Bíblia, a adoração está associada à idéia de culto, reverência, veneração por aquilo que Deus é (Santo, Justo, Amoroso, Soberano, Misericordioso, etc… Salmos 96:9; Apocalipse 4:8-11; Apocalipse 7:11-12; Apocalipse 11:16-17). Ou seja, independentemente do que Deus faz, fez ou fará, nós devemos adorá-Lo, pois, Ele é Deus. Todos nós sabemos que somente a Deus se deve adorar. Somente Ele é digno de adoração. A adoração que não é dirigida a Deus é idolatria. A Bíblia a condena (Lucas 4:8; Deuteronômio 11:16; Êxodo 20:4; Levítico 26:1; Isaías 42:8). Deus é incisivo em reivindicar adoração somente a Si.

Louvor

As palavras no Antigo Testamento para louvor vêm do hebraico hãlal, que significa fazer ruído, yãdhâ, que está associada às ações e gestos corporais que acompanham o louvor e, zãmar, que é associada à música tocada e cantada.

No Novo Testamento, temos como origem a palavra grega eucharistein, que significa agradecer e a palavra eulogein, que significa bendizer.

Lições que Tiramos do Uso que a Bíblia faz das Palavra Louvor e Adoração

O louvor, se direcionado de forma correta, pode ser dirigido de vários seres, para vários seres. O pensamento de que, se estamos louvando outro ser que não é o nosso Deus, estamos pecando, não coaduna com o uso que a Bíblia muitas vezes faz da palavra louvor. Um ser humano pode louvar um animal, e ainda assim, continuar não desonrando ao Senhor, uma vez que Este seja mais exaltado que aquele, no “trono do coração”.

Nosso principal louvor deve ser dirigido a Deus. Como Senhor do nosso viver, Ele deve receber o nosso mais alto e prioritário louvor.

O nosso louvor a Deus pode acontecer de forma indireta. Ao afirmar que se pode louvar outros seres diferentes de Deus, mas que o mais alto louvor deve ser para Ele, parece ser levantada uma contradição. Mas ao louvarmos diretamente a outros seres, se Deus estiver sendo honrado, ele pode estar sendo indiretamente louvado. Por exemplo: quando uma esposa declara uma poesia que elogia seu esposo, ela está louvando-o, mas por esta ser uma ação que agrada a Deus, através dela, Ele também está sendo louvado. Tudo que mostra, aponta, ou faz lembrar de Deus como Supremo, verbalmente ou não, está louvando-O. A própria Bíblia é um louvor a Deus, enquanto louva outras coisas, também. A natureza, sem cantar nem falar, louva a Deus. Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos (Salmos 19:1).

Levando em consideração que o louvor pode existir nas formas direta e indireta, em tudo o que fazemos, deve caber o louvor a Deus, ainda que indireto.Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus (1ª Coríntios 10:31).

Toda música que uso, deve permitir que eu, direta ou indiretamente, louve a Deus. Talvez a canção nem mencione o nome de Deus. Pode ser, por exemplo, o louvor a um aniversariante. Analise: Parabéns pra você, nesta data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida. Este é um louvor que fazemos a alguém que está completando anos. Ao fazê-lo, não estamos desonrando a Deus. Ele também se alegra nisto. Esta é uma “outra coisa” feita “para a glória de Deus”. Aí está uma canção que louva a Deus somente da forma indireta.

Mas lembre-se do sentido da palavra adoração: prestar culto. Isto sim, se faz somente a Deus. Há músicas que, embora louvem a Deus, não servem para a adoração a Deus, por serem louvores indiretos a Ele. Logo, existem canções que, embora sadias, não são recomendáveis para serem usadas na igreja. Talvez a música até mencione Deus, mas não é musica de culto. São músicas que, embora O louvem, não O adoram.

Diante de tanta diferença de gostos e formações culturais geradas pela transculturação interna dentro da nossa sociedade brasileira, nossos músicos precisam ter uma flexibilidade e bom senso muito grandes para produzir músicas que se adequem a diferentes contextos de adoração. Como este leque é bem extenso, poderá ter pontos incompatíveis; poderá haver músicas que sirvam para adoração em um contexto, e em outro não. Fazer música é uma forma, na linguagem paulina, de profetizar. Portanto, siga o conselho de Paulo em relação à profecias, aplicando-os à musicalidade da sua comunidade cristã – “julgai todas as coisas, retende o que é bom” (1ª Tessalonicenses 5:21) – ao selecionar as músicas para serem usadas, analise o contexto e as pessoas que participarão, executando-as e ouvindo-as. Se a música levar a maior parte das pessoas a Jesus, num espírito de adoração e louvor, sem ruído de comunicação, ela é adequada; caso contrário, deve ser substituída (mas tal substituição não quer dizer que em outro contexto a música não seja adequada), a despeito dos gostos particulares. Porque cabe também aos que lidam com a música na igreja, a terem a humildade suficiente que um mensageiro de Deus precisa ter, de submeter a escolha de cada música para o contexto, não segundo os seus caprichos, mas segundo o que melhor aprouver para a membresia presente no tempo e local de cada contexto.

A música na igreja deve louvar e adorar, pois a casa de Deus é lugar para adorá-Lo. Também os levarei ao meu santo monte e os alegrarei na minha Casa de Oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar, porque a minha casa será chamada casa de oração para todos os povos (Isaías 56:7). Ao submetermos um cântico dentro do recinto sagrado, devemos analisar se ele serve de instrumento de prestação de culto, de adoração. Se a música não puder conduzir os adoradores à veneração ao sagrado, provavelmente não será apropriada para uso nos Átrios do Senhor. Mas isto não quer dizer que, se a música não serve para ser usada na igreja, então ela é pecaminosa.

Em toda adoração deve haver louvor, mas nem sempre há adoração em todo louvor. 

https://musicaeadoracao.com.br/19610/a-diferenca-entre-louvor-e-adoracao/

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s