Declaração de Fé

      Credo, confissão de fé, regra de fé ou declaração de fé são interpretações autorizadas das Escrituras Sagradas aceitas e reconhecidas por uma igreja ou denominação. Todas as igrejas ou denominações no mundo possuem algum tipo de conjunto de crenças, seja ele escrito ou não, não importando o nome dado aos ensinos que norteiam a vida da instituição cristã. A Bíblia é a Palavra de Deus e a única autoridade inerrante para a nossa vida. Não é um credo, mas sim sua fonte primária. Na explicação de Philip Schaff, “A Bíblia é a Palavra de Deus ao homem; o Credo é a resposta do homem a Deus. A Bíblia revela a verdade em forma popular de vida e fato; o Credo declara a verdade em forma lógica de doutrina. A Bíblia é para ser crida e obedecida; o Credo é para ser professado e ensinado”. Em outras palavras, a Bíblia precisa ser interpretada e compreendida para uma adoração consciente a Deus.

A Igreja não dispunha de Credos ou de qualquer formulação doutrinária formalizada no período apostólico. Era um tempo em que a produção dos livros do Novo Testamento ainda estava em andamento . Logo no século II, surgiu a necessidade de se organizar os pontos mais significativos da fé cristã, pois, desde muito cedo na história do cristianismo, surgiram controvérsias e heresias que questionavam o verdadeiro ensino cristão. Diante disso, era chegada a hora de “responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós” (1ªPe 3:15). Assim, começaram a aparecer as primeiras regras de fé sintetizando a doutrina cristã. Esses documentos tinham por objetivo sintetizar as doutrinas essenciais do cristianismo para facilitar as confissões públicas e conservar o pensamento cristão contra as heresias. Essas formulações foram sendo aperfeiçoadas e tornaram-se conhecidas  como credos ou símbolos. O termo “credo” vem do latim  credo e significa “creio, deposito confiança”. Trata-se de uma confissão de gratidão à glória de Deus. Símbolo, do grego symbolon, significa literalmente “arremessar junto, comparar”, sendo, porém, usado em referência a qualquer declaração formal, seja credo, confissão de fé ou catecismo.

      Os credos considerados universais são conhecidos como “credos ecumênicos”, visto que a sua aceitação é ampla e não se restringe a uma ou outra região. Os principais são o Credo dos Apóstolos, século II; o Credo Niceno (325 d.C.); o Credo Niceno-Constantinopolitano (381 d.C); o Credo de Calcedônia (451 d.C.); e o Credo de Atanásio (cerca do ano 500). Esses credos são geralmente aceitos por católicos romanos, ortodoxos gregos e protestantes, pois seu conteúdo é comum às principais religiões que ostentam a bandeira de Cristo. As seitas ou grupos religiosos heterodoxos rejeitam esses credos.

       A confissão ou declaração de fé é mais elaborada do que os credos ecumênicos, que são uma forma de fé pessoal e começam com “creio” ou “cremos”. O termo “confissão” era usado no princípio para descrever o testemunho dos mártires, a começar pelo próprio Senhor Jesus Cristo: “[…] e de Cristo Jesus, que diante de Pôncio Pilatos deu o testemunho de boa confissão” (1ªTm 6:13). É, porém, comumente usado nas declarações formais da fé cristã pelos reformadores. As confissões de fé são marcas do período da Reforma.

       O contexto social e político por si só exige uma definição daquilo em que eu creio e daquilo que professo desde as minhas origens.

        A Bíblia é a minha única fonte de autoridade, a inerrante, infalível, completa e inspirada Palavra de Deus. As Escrituras Sagradas, no entanto, precisam ser interpretadas para que todos conheçam a sua mensagem. Assim sendo, o conteúdo de todos os documentos, hinos ou louvores postados ou registrados no Blog são as interpretações autorizadas das Escrituras e os ensinos oficiais meus, acima de tudo como cidadão do reino dos céus, professor e presbítero da Igreja Assembleia de Deus do bairro Jardim 25 de Agosto, na cidade de Duque de Caxias no RJ, Brazil.

       O blog “saldaterraeeluzdomundo.wordpress.com” é um conjunto de documentos, hinos ou louvores que organizo de forma sistemática e expressam a minha crença e prática pessoal, tendo como fundo os ensinamentos adquiridos na minha Igreja de origem IPNV e na atual IADJ25A (Igreja Assembleia de Deus do Jardim 25 de Agosto), sob a liderança dos meus respectivos pastores e obviamente no Seminário Teológico Betel, localizado no Rocha na Av. Mal Rondon, onde me formei em Bacharel em Teologia.

      A declaração de fé do blog servirá como proteção contra as falsas doutrinas e contribuirá para a unidade do pensamento teológico para “que digais todos uma mesma coisa” (1ª Co 1:10). Trata-se ainda de um material didático para ajudar as pessoas na formação espiritual, bem como mostrar a sociedade aquilo que creio e pratico.

       O conjunto de documentos  identifica a minha marca pentecostal como cidadão, mas o objetivo primordial é a glória de Deus.

Bibliografia

Selecionei este texto com as minhas particularidades do Livro:

Declaração de Fé das Assembleias de Deus

CGADB – CPAD 3ª Impressão

Introdução

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s