Algumas mordomias

A MORDOMIA CRISTÃ

 

ADMINISTRADORES DOS BENS DE DEUS

1º Pe 4. 10,11

A CULPA É DO MORDOMO

Mordomo Pessoa encarregada da administração de uma casa, administrador.
Muitas vezes assistimos ou lemos histórias de suspense onde no final a culpa é do mordomo. Conquanto esta estigmatização do pobre mordomo muitas vezes cometa injustiça em grande parte dos enredos, ele de fato é o culpado. Um dos enredos onde o mordomo tem sido o culpado é o da história da humanidade.
O mundo é a casa que todos nós humanos temos o dever de administrar. Vemos muitos problemas: muita sujeira, muitos déficits, muita injustiça, muita violência, muito abandono, muita maldade, muita doença, destruição, poluição e tantos outros que nos vêm à mente a partir da menção destes. Quando vemos todo este mal, a pergunta é: de quem é a culpa? Alguns acusam Deus de todo o caos da vida no planeta, mas Ele com certeza não é o culpado. A culpa é do mordomo.
Cada humano deste planeta é culpado de tudo de mal que nele acontece. Somos os mordomos de Deus neste mundo. Fomos criados para a mordomia, e isso não é sinônimo de uma vida de regalias como esta expressão tem sido entendida por muitos. Mordomia é: o manejo responsável dos recursos do mundo de Deus que foram confiados a uma pessoa ou a um grupo.
Mordomo, (no grego oikonómos) é o administrador dos bens de uma casa ou de um estabelecimento alheio. A igreja, o planeta, tudo pertence a Deus e nós somos seus mordomos, se algo está errado a culpa é nossa.

Há várias esferas de exercício da mordomia, eis algumas delas:

1) Do nosso Tempo: “Portanto, vede prudentemente como andais não como ignorantes, mas como sábios, remindo (aproveitando bem) o tempo porque os dias são maus”. Ef. 5.15
2) Dos nossos Bens: nada é nosso tudo é de Deus. Por isso a sabedoria diz: “Honra ao Senhor com os teus bens, e com as primícias de toda a tua renda” (Pv 3.9).
3) Do Conhecimento e Inteligência: tudo que sabemos e temos devemos colocar a serviço de Deus: “Porque em tudo fostes enriquecidos Nele, em toda palavra e em todo o conhecimento” (1ª Co 1.5).
4) Dos nossos Corpos: o corpo não é para o pecado ou para o prazer fora da vontade de Deus. O nosso ser e o nosso corpo pertencem a Deus e também prestaremos contas do uso que fazemos deles. “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Rm 12.1).

Concluímos com as palavras de Jesus aos seus mordomos: “Quem é, pois, o administrador fiel e sensato, a quem seu senhor encarrega dos seus servos, para lhes dar sua porção de alimento no tempo devido? Feliz o servo a quem o seu senhor encontrar fazendo assim quando voltar.” (Lc 12. 42,43).

Mordomo? Quando ouvimos esta palavra, vem à mente uma figura antiquada; uma pessoa de idade vestida com um fraque, servindo refeições em um castelo; ou, muitas vezes, o culpado dos crimes cometidos em histórias policiais.
A palavra mordomo, entretanto, significa simplesmente administrador. Mordomia é o exercício dessa capacidade de administração. Essa palavra é ouvida com freqüência em igrejas, normalmente referindo-se às obrigações sobre contribuições. O seu sentido, entretanto, é muito mais amplo.
Somos mordomos de Deus sobre o tempo, que recebemos dele; sobre os bens que ele nos dá e sobre tudo mais que ele nos concede, em nossa vida. Inserido, portanto, na definição de mordomia está o conceito de responsabilidade. Somos responsáveis pela utilização correta de tudo que provém de Deus e isso se inicia com o reconhecimento de Sua pessoa e de que temos que glorificá-lo no todo de nossa vida. “Assim, quer vocês comam,
bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus”. (1ª Coríntios 10.31).

O propósito da vida não está na especulação filosófica, mas na revelação divina.

Antes de ser concebido por nossos pais, fomos concebidos na mente de Deus.

a) Deus planejou cada detalhe do nosso corpo (Salmo 139).
b) Deus determinou os talentos naturais que possuiríamos e também nossa personalidade única.
c) Deus determinou o tempo de nossa vida sobre a terra.
d) Deus determinou onde nasceríamos: nossa nacionalidade, filiação, temperamento, cultura.
e) Deus determinou como iríamos nascer. Enquanto há pais ilegítimos, não há filhos ilegítimos. Muitos filhos não foram
planejados por seus pais, mas foram planejados por Deus.
f) Deus pensou em cada um de nós antes de criar o mundo.
g) Deus nos planejou para um propósito específico: ser seus mordomos!

I. O QUE É SER UM MORDOMO DE DEUS?

DEFININDO A PALAVRA MORDOMIA – 05 palavras que dão ideia do significado de Mordomia:
1) OIKÉO e significa HABITAR, esta vem da palavra OIKIA que significa CASA;
2) OIKEIOI, se refere a família ou casa como conjunto de pessoas;
3) OIKODESPOTES, que refere ao dono da casa, o pai de família;
4) OIKETES, que refere ao “servo do senhor” que tem função dentro da casa;
5) OIKONOMOS, que significa mordomo ou administrador de uma casa.

1. Definição:

Mordomo…
· É aquele que é incumbido da direção da casa, o administrador. Ele não é dono, mas o dono da casa lhe confia tudo o que tem para ser cuidado e desenvolvido: terras, dinheiro, jóias, esposa, filhos, alimentação da família e administração de suas riquezas.
· Quando o mordomo se sente dono dos bens do seu senhor, ele trai o seu senhor.
· Quando o mordomo deixa de cuidar com zelo e fidelidade dos bens do seu senhor, ele torna-se infiel.

2. Exemplos bíblicos de mordomia

a) Eliezer – Gn 24:2 “Disse Abraão ao seu mais antigo servo da casa, que governava tudo o que possuía…”.
Eliezer não apenas cuidava dos bens de Abraão, mas também da família de Abraão. É incumbido de procurar uma esposa para Isaque. Eliezer obedece prontamente e fielmente. Ele depende de Deus para obedecer ao seu Senhor e ora, pedindo a direção de Deus (Gn 24.12-14).
b) José – Gn 39:4,6: “logrou José mercê perante ele, a quem servia; e ele o pôs por mordomo de sua casa e lhe passou às mãos tudo o que tinha… Potifar tudo o que tinha confiou às mãos de José, de maneira que, tendo-o por mordomo, de nada sabia, além do pão com que se alimentava”.
c) Paulo – Ele compreendeu que sua vida tinha um propósito definido: “Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus”. (At 20.24). Alertou para o fato de que devemos manter sempre viva a verdade de que
somos mordomos dos mistérios de Deus: “Portanto, que todos nos considerem como servos de Cristo e encarregados dos mistérios de Deus. O que se requer destes encarregados é que sejam fiéis”. (1ª Co 4.1-2).
d) Jesus – Jesus veio ao mundo cumprir o propósito do Pai. Tudo o que o Pai lhe confiou ele executou fielmente. A agenda do Pai era a sua agenda. A vontade do Pai era a sua vontade. Mesmo sofrendo por sua fidelidade ao propósito do Pai, permaneceu firme, deixando-nos o exemplo. “Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também
Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos” (1ª Pe 2:21).

II. POR QUE DEVEMOS SER MORDOMOS DE DEUS?

1. Porque Deus como o dono e sustentador do universo nos delegou essa função

a) A função do homem é de mordomo e não de proprietário

· Gn 2:15-17: “Tomou, pois, o Senhor Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar. E o Senhor lhe deu esta ordem: De toda esta ordem: De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. O homem tinha ordens de coisas que permitidas, ordenadas e proibidas.

· Gn 1:28: “E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céus e sobre todo animal que rasteja pela terra”. Ao homem cabe não apenas encher a terra, mas também sujeitá-la. O crescimento populacional precisa ser responsável. O homem é mordomo!
· Salmo 8:3-9: “… deste-lhe domínio sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste: ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre as sendas dos mares”.
· Como mordomo da criação o homem tem cometido dois erros: VENERAÇÃO E DEPREDAÇÃO.

b) Deus é o dono de tudo e não nos passou escritura do que lhe pertence

· Gn 14:22 – Abraão disse para o rei de Sodoma que o “Deus altíssimo possui o céus e a terra”.
· Dt 10:14 – “Eis que os céus e os céus dos céus são do Senhor, teu Deus, a terra e tudo o que nela há”.
· Salmo 24:1 – “Ao Senhor pertence à terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam”. Os animais são de Deus (Sl 50:10-12), a terra é de Deus (Lv 25:23), a prata e o ouro são de Deus (Ag 2:8), o que a terra produz é de Deus (Os 2:8); até mesmo os bens que administramos e empregamos na obra de Deus é de Deus (1 Cr 29:13-16).
· Sempre que granjeamos, administramos e gastamos os recursos como se eles fossem nossos, não observando que pertencem a Deus, tornamo-nos mordomos infiéis.

2. Porque nós mesmos não nos pertencemos, mas somos propriedade
exclusiva de Deus.

a) Por direito de criação (Gn 1:27; 2:7; Is 42:5; 43:1-7)
· O homem não é produto do acaso, de evolução. Deus nos criou, nos formou, nos entreteceu.

Ilustração: Marshall Nirenberg – 60 trilhões de células com 1,70 cm de fita DNA e a perseguição do período da revolução Francesa.

b) Por direito de preservação (At 14:15-17; 17:22-28)
. A doutrina da providência é maravilhosa. Ela alcança ímpios e remidos. Deus dá a chuva e o sol ao pai de santo e ao pastor. Ele dá saúde ao salvo e incrédulo. As bênçãos da graça comum, ele as distribui a todos.
. Nos dá vida, respiração, saúde, proteção, alimento, paladar, livramento. Ilustração: A diferença entre DEISMO E TEISMO.

c) Por direito de redenção (1ª Co 6:19-20; 1ª Pe 2:9; Ap 5:9)
· Deus nos criou para a sua glória (Is 43:7). O pecado nos afastou de Deus (Is 59:2). Então, Deus nos comprou pelo
preço do sangue do seu Filho (At 20:28; 1ª Co 6:20).
· Somos de Deus porque ele nos criou, porque ele nos preserva e porque ele nos remiu.
· Ilustração: O menino que fez um barquinho e ao brincar com ele, este escapou de suas mãos, levado pela correnteza.
Viu dias depois o seu barquinho na vitrine de uma loja. Insistiu que o barquinho lhe pertencia. Mas o dono disse-lhe que ele precisava comprar. O pai lhe deu o dinheiro e ele foi e comprou o seu próprio barquinho. Com alegria, disse:
“Agora você é meu duas vezes. Primeiro, porque o fiz; e segundo, porque eu o comprei”.

III. QUAIS AS IMPLICAÇÕES DE SERMOS MORDOMOS DE DEUS?

1. Passamos a ter um profundo senso do sagrado

· Acaba-se a distinção entre sagrado e profano, ou atividades seculares e religiosas. Tudo passa ser sagrado e litúrgico. Exemplo: Isaque levanta um altar e cava um poço no mesmo lugar.
· O trabalho é sagrado. Você é um mordomo no comércio e no templo.
· O lar, a escola, o trabalho, a igreja participa da mesma esfera sagrada, porque Deus se importa com tudo o que é dele.

2. Passamos a ter um profundo senso de responsabilidade

· Vamos prestar conta da nossa mordomia (Lc 16:1). Como usamos nossa vida, família, bens, recursos, talentos, oportunidades, tempo, dinheiro.
· O que se requer dos mordomos é que eles sejam encontrados fiéis (1ª Co 4:1-2).

3. Passamos a ter um profundo senso de dependência·

1ª Pedro 4:10 “Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da  multiforme graça de Deus”.
· 2 Timóteo 2:21 “Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra”.
· Nenhum mordomo poderá desempenhar o seu sublime papel sem total dependência de Deus, sem o poder do Espírito Santo.

Rev. Hernandes Dias Lopes

Conclusão:

“Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que em todas as cousas seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence à glória e o domínio pelos séculos dos séculos, Amém”. (1ª Pedro 4.10-11)

O apóstolo Pedro nos oferece neste texto, uma síntese teológica do serviço cristão.

A vida na igreja é vida de serviço aos outros – “Servi uns aos outros” é uma convocação para sairmos de nós mesmos e voltarmos para os outros. A palavra “servi”, no grego “diakonuntes”, indica que devemos prestar serviço ao outro sem medir esforço, quer por palavra ou ação. O referencial é Jesus. “Pois o próprio filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (Mc.10.45)

Cada cristão foi capacitado individualmente para o serviço – Cada crente recebeu da parte de Deus, um dom espiritual, para o serviço dentro do contexto da igreja. Não existe crente incapaz ou inútil. “Cada um conforme o dom que recebeu”, diz Pedro. (1Co. 12; Rm 12; Ef. 4). Todos estão nivelados, pois todos são importantes uns para os outros. Descubra o seu dom e exercite-o. Observe as necessidades das pessoas e da Igreja. Eis um campo de trabalho para você!

Cada crente é mordomo.

Como bom despenseiro da graça”, indica que ter um dom espiritual é possuir um “depósito de graça”. É ser um “mordomo”. Na igreja, temos o ministério de suprir uns aos outros, como bons despenseiros de Deus. Cuidado, seja um mordomo fiel (1ª Co 4.2; Lc.12.42-48).

O objetivo final do trabalho cristão é a glória de Deus.

Quer na comunicação da Palavra ou no serviço de amor, o objetivo é a glória de Deus: “Em todas as cousas seja Deus glorificado”: A intenção de quem trabalha deve ser sempre agradar a Jesus (Mt 25.31-46).

http://ipjg.org.br/ed/VisaoBiblica/Textos/2014 e anteriores/Textos/2014/Mordomia-Crista-EBD-Aula

Estarei agora abordando brevemente algumas mordomias, retiradas da Revista – Lições Biblicas do 3ºT 2019 Adulto CPAD, cujo tema é: Tempo, Bens e Talentos: Sendo Mordomo fiel e prudente com as coisas que Deus nos tem dado

  • A mordomia da Igreja Local.
  • A mordomia da Oração.
  • A mordomia do trabalho.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s