Elas são culpadas!

       Algo de extraordinário vem acontecendo no Brasil desde meados de 1995. Jovens de toda a nação têm experimentado um avivamento pessoal. É algo sobrenatural! São centenas (por que não arriscar milhares?) de testemunhos de moços que de repente começaram a experimentar uma transformação em sua vida. Muitos se converteram, sendo libertos de vícios e do tédio de viverem outrora entregues a si mesmos e ao diabo. Outros, já convertidos, alcançaram um despertamento para o compromisso de consagrarem sua vida para a obra missionária, para o ministério da Palavra, para a evangelização. Mas o que pode explicar tais acontecimentos maravilhosos? Elas são as “culpadas”: as “Déboras”. E quem são elas?

       Déboras são mães intercessoras, biológicas, adotivas ou espirituais de qualquer denominação, comprometidas em orar intensamente ao Deus vivo pelos seus filhos, por 15 minutos diariamente, que devem se inscrever através de uma ficha. Elas fazem parte de um movimento organizado que recebe o título de “Desperta Débora”.

       Atualmente existem mais de 90.000 mães cadastradas, em todos os Estados do Brasil. O “Desperta Débora” é liderado por 1.228 coordenadoras locais e regionais, que são mulheres dispostas ao trabalho voluntário de intercessão. Ninguém ora por um filho como uma mãe, então imagine várias mães orando juntas!

Alvos de oração das Déboras

       As “Déboras” têm orado para que Deus opere um despertamento espiritual sem precedentes na história da juventude brasileira e para que seus filhos estejam rendidos aos pés da cruz. Elas têm orado também para que Deus levante uma geração comprometida e que haja um avivamento nas escolas e das universidades, locais onde os jovens passam a maior parte do dia e onde há grande influência de vícios, materialismo e mensagens anticristãs. O “Desperta Débora” já atingiu vários países do mundo.

Como surgiu este movimento?

       O “Desperta Débora” nasceu no coração de Deus, que tocou o pastor Jeremias Pereira da Silva, por ocasião do GCOWE 95 (Consulta Global sobre Evangelização Mundial), realizado em maio de 1995 em Seul, Coreia do Sul. Um dos pontos altos daquele encontro foi a consagração dos primeiros 100.000 jovens coreanos de todas as denominações para a obra missionária, realizada no estádio olímpico de Seul. Isto despertou o sonho no coração do pastor Jeremias e do pastor Marcelo Gualberto de ter algo semelhante em nosso país. Houve na consagração dos jovens coreanos uma menção de gratidão para as mães que oraram para a realização desse sonho. Resolveu-se então desafiar as mães brasileiras a orarem intensamente, pois um despertamento missionário sempre é fruto de muita oração. De volta para o Brasil, convidaram Ana Maria de Souza Pereira da Silva, esposa do pastor Jeremias, e juntos assumiram o projeto. No dia 09 de fevereiro de 2000, depois de lutar bravamente por quase dois anos contra um câncer, o Senhor levou Ana Maria para si.

       O nome “Desperta Débora” veio da leitura do capítulo cinco do livro de Juízes. O versículo sete afirma que as aldeias estavam desertas “até que eu, Débora, me levantei por mãe em Israel”. E em Juízes 5.12 ela faz como que uma autoministração quando diz com força e autodesafio: “Desperta, desperta, Débora, desperta, desperta, entoa um cântico”.

      Hoje o “Desperta Débora” é liderado por uma coordenadora nacional, Maria Luiza Targino, e por cinco coordenadoras regionais: Simone Laurent, Adriana Guimarães, Maria José Soares e Dora Bomilcar. O escritório nacional está situado em João Pessoa, Paraíba, e o escritório regional Sul e São Paulo fica no bairro da Saúde, na capital paulista. Este já conta também com o apoio de psicólogas cristãs especializadas para atender famílias, mães e jovens.

       Una-se às “Déboras” neste movimento de oração e faça diferença na vida de sua família. O “Desperta Débora” quer ser bênção na vida de seus vizinhos. Você poderá fazer pequenos grupos em sua rua, cidade, igreja. Qual a mulher que vai se recusar a orar por seu filho?
Mude a sua igreja através da oração. Mude seus jovens, mude seus filhos. Ana Maria de Souza Pereira da Silva, nossa fundadora, sempre dizia: “Não criamos filhos para povoar o inferno, mas para que se rendam aos pés da cruz”.

Anunciantes: DIVERSOS.

Fonte: Revista Lar Cristão  http://www.revistalarcristao.com.br/

Anúncios
Esse post foi publicado em Periódicos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s