Estudo de Iniciação Cristã – GERE – Jejum e Oração

Oração é a conversa íntima de um filho com o Senhor tendo o auxílio do Espírito Santo (Rm 8:26).

 10.1- ESTRUTURA DA ORAÇÃO

       A oração pode ser dividida em 4 partes:

1ª-Louvor e adoração.

       Ao orarmos devemos ter em mente a certeza de que Deus nos ouve e nos responderá. Deus busca adoradores, aqueles que o adoram em espírito e em verdade, de forma sincera que sai do coração (Hb 13:15).

 2ª-Agradecimento.     

       Devemos agradecer a Deus por tudo que temos recebido (1ªTs 5:18).

3ª-Confissão.

       Devemos ter mãos limpas e coração puro para chegarmos a Deus, confessando os nossos pecados (Rm 10:9_10).

 4ª-Petição.

       A última coisa que apresentamos a Deus em nossas orações são os nossos pedidos. Deus já os conhece antes que nós coloquemos em palavras. Devemos orar em primeiro lugar pelo povo de Deus, por nós, nossa família e todos os homens.

       A oração deve ser dirigida somente a Deus, em nome de Jesus Cristo, e sob a inspiração do Espírito Santo de Deus (Jo 15:16; 1ªTm 2:5).

        A oração se torna eficaz quando unimos os seguintes elementos:

-Fé (Mc 11:24).

-Submissão (Mt 26:39_42).

-Consciência pura (1ªTm 2:8).

-Concordância (Mt 18:19).

-Perseverança (1ªTs 5:17; Lc 18:1).

-Homens casados devem honrar a mulher (1ªPe 3:7).

        Na Bíblia, o jejum se acha associado à oração (Sl 35:13; Mt 6:5_18). Devemos jejuar numa manifestação de arrependimento e reconhecimento da dependência de Deus (2ªCr 7:14). O jejum fortalece o espírito, diminuindo a influência que a carne exerce sobre nós (Mt 6:33).

 10.2- POR QUE JEJUAR?

       Devemos jejuar porque pelo jejum obtemos soluções e bênçãos de Deus.

       Muitos fardos são aliviados (Is 58:6).

       Sabedoria obtida por meio do jejum (Dn 10:1_4).

       O avivamento vem por meio de jejum (Is 58:8).

       Proteção de Deus contra os perigos (1ªRs 21:27_29).

       Cura de entes queridos (Sl 35:13).

       Preparação para exercer determinada atividade ou Ministério (Mt 4:2).

 10.3- TIPOS DE JEJUM

       Jejum típico: abster-se de alimentos sólidos (II Sm 12:17; Lc 4:2 (?)).

       Jejum completo: abster-se de alimentos e água (Ex 34:28; Ed 10:6; At 9:9). O tempo de jejum varia podendo durar desde algumas horas até vários dias.

       Jejum parcial: Caracterizado pelo que se come e a freqüência com que se come. Igual a abster-se de certos alimentos por determinado tempo (Dn 1:12; 6:18).

 

Oração como placebo

 

Embora não professe nenhuma religião e se declare politeísta (“Deus não é um, Deus é todos”), o cantor, compositor e guitarrista Gilberto Gil, ex-ministro da cultura (2003–2008), em entrevista à “Folha de São Paulo”, declara que crê na oração e reza todos os dias.

 
É difícil ligar uma coisa à outra. Aumenta cada vez mais o número de pessoas que oram não necessariamente para comparecer diante do Senhor. Antes, oram independente da existência ou não de Deus. Trata-se de um exercício puramente mental.
 
Na verdade, a oração é o ato solene de entrar na presença de Deus para adorar, agradecer, desabafar, confessar e suplicar, de forma humilde, reconhecendo a total estreiteza de nossos recursos e a extrema grandeza do amor e do poder de Deus. É sempre importante lembrar que só se entra no Santo dos santos graças ao sacrifício vicário de Jesus.
 
Na oração cristã, a mente e o espírito se conjugam, como se pode ver nestas palavras de Paulo: “Orarei com o espírito, mas também orarei com a mente” (1ªCo 14.15). Essa conjunção é vista também na declaração de Isaías: “Tu, Senhor, conservarás em perfeita paz aquele cuja mente está firme em ti, porque ele confia em ti” (Is 26.3). A perfeita paz advém não de um exercício puramente mental, mas de um exercício espiritual, que nos conduz à fé.
 
A oração de um esotérico, de um agnóstico, de um ateu, de uma pessoa distante de Deus pode produzir algum bem-estar. Contudo, é uma oração artificial e utilitária, uma espécie de placebo religioso. É por esta razão que ela é sugerida em livros de autoajuda e mesmo por profissionais de saúde.
ULTIMATO EDIÇÃO Nº339

 

NOSSO ANDAR DIÁRIO/NOSSO PÃO DIÁRIO

15/01/2013

Há poder

Leitura: Tiago 5:13-18


…Muito pode, por sua eficácia, a súplica dos justos. —Tiago 5:16

Quando minha irmã descobriu que tinha câncer, pedi aos meus amigos que orassem. Quando ela fez a cirurgia, oramos para que o cirurgião fosse capaz de remover todo o câncer e que ela não tivesse que se submeter à quimioterapia ou radiação. E Deus respondeu positivamente! Quando compartilhei as novidades, uma amiga comentou, “estou tão feliz que há poder na oração.” Respondi, “E eu estou grata que Deus tenha respondido com um sim desta vez.” Tiago diz que “…Muito pode, por sua eficácia, a súplica dos justos” (5:16). Mas “muito pode” e “eficácia” significa que quanto mais oramos, ou mais pessoas pedirmos para orar aumenta a probabilidade de Deus responder com um “sim”? Eu tive respostas “não” e “espere” o suficiente para questionar essa pergunta. A oração é poderosa, mas é um mistério muito grande. Fomos ensinados a ter fé, a pedir sincera e audaciosamente, a perseverar, a nos rendermos à vontade divina. No entanto, Deus responde em Sua sabedoria e Suas respostas são as melhores. Eu estou muito agradecida por Deus querer ouvir os nossos corações, e não importa qual for a resposta, Ele ainda é bom. Gosto das palavras de Ole Hallesby: “A oração e o sentimento de incapacidade são inseparáveis. Apenas os que se sentem incapazes podem orar verdadeiramente… Nossa necessidade é a nossa melhor oração.” Por meio da oração podemos lidar com as nossas incapacidades. —AMC

A oração soa como o choro da criança aos ouvidos atentos de Deus.

       

Anúncios
Esse post foi publicado em Bíblia, Estudo Biblico. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Estudo de Iniciação Cristã – GERE – Jejum e Oração

  1. rfbarbosa1963 disse:

    Resolvi traçar comentários sobre “A Prática do Jejum” ao reler o livro “Celebração da Disciplina” de Richard J. Foster, da pagina 74 à 79.

    Homens e mulheres modernos ignoram, em grande parte, os aspectos práticos do jejum. Os que desejam jejuar precisam familiarizar-se com estas informações.
    Como acontece com todas as Disciplinas, deve-se observar certa progressão; é prudente aprender a andar bem antes de tentarmos correr…
    No começo você ficará fascinado com os aspectos físicos, mas a coisa mais importante a observar é a atitude interior de adoração. Exteriormente você estará executando os deveres regulares do dia, mas interiormente está em oração e adoração, cântico e louvor. Numa forma nova, levará cada tarefa do dia a ser um ministério sagrado ao Senhor. Conquanto seus deveres sejam seculares, para você eles são um sacramento. Cultive uma “suave receptividade aos sopros divinos”. Quebre seu jejum com uma leve refeição de frutas e vegetais frescos e uma boa dose de regozijo íntimo…
    Deve ser óbvio a todos que algumas pessoas por motivos físicos, não devem jejuar. Os diabéticos, as mulheres grávidas e os que tem problemas cardíacos não devem jejuar.

    NOTA: Eu mesmo atualmente em 2014, evito jejuar ou quando o pratico, faço por pouco tempo, visto que retirei a vesícula neste ano e uso medicamento com certa frequência.

    Embora os aspectos físicos do jejum nos deixem curiosos, jamais devemos esquecer-nos de que a principal obra do jejum bíblico esta no reino espiritual. O que se passa espiritualmente é de muito maior consequência do que o que acontece no corpo. Você estará engajado em uma guerra espiritual que necessitará de todas as armas de Efésios 6. Um dos períodos mais críticos no campo espiritual está no final do jejum físico quando temos uma tendência natural para descontrair-nos. Não quero, porém, deixar a impressão de que todo jejum é uma tremenda luta espiritual; pessoalmente não tenho sentido assim. Ele é, também, “…justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo” (Romanos 14:17).
    O jejum pode trazer avanços no reino espiritual que jamais poderiam ter acontecido de outra maneira. É um recurso da graça e benção de Deus que não deve ser negligenciado por mais tempo. Wesley declarou:

    …não é meramente pela luz da razão…que o povo de Deus tem sido, em todos os tempos, levado a usar o jejum como um recurso:…mas eles têm sido… ensinados a esse respeito pelo próprio Deus, mediante claras e abertas revelações de sua Vontade…Ora, quaisquer que tenham sido as razões para reavivar os do passado, em seu zeloso e constante cumprimento deste dever, elas são de igual força ainda para reavivar-nos.

    Agora é o tempo para que todos quantos ouvem a voz de Cristo obedeçam a ela.

    Curtir

  2. rfbarbosa1963 disse:

    A prática da oração é uma realidade bem presente nas reuniões do grupo evangélico da Reduc, mesmo porque é o tempo que nós temos para agradecer a Deus por nossas vidas, fazer petições por nós e/ou pelos nossos semelhantes e acima de tudo um momento de prostração, reconhecendo as nossas limitações para resolver situações que humanamente são impossíveis de resolver. Mesmo o jejum é algo muito pessoal para se praticar. Eu mesmo, no período da distribuição dos novos testamentos pratiquei o jejum até para que tudo ocorresse da melhor maneira possível.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s