A vontade de Deus é perfeita para a família

      Certa vez um homem chegou em casa com uma grande notícia para sua família: “Está decidido! Vou ser pastor no sertão nordestino”. Todos arregalaram o olho, esposa, filhos, a Sogra e até o cachorro. E tinham realmente motivos para se espantarem, afinal de contas, quem estava falando que iria ser pastor no sertão nordestino era um grande empresário da cidade de São Paulo, que nem seminário tinha feito. Alberto era um homem de meia idade bem-sucedido, casado com uma mulher cristã, compreensiva e amorosa, e tinha três filhos na época da adolescência. Seus filhos não davam trabalho, eram adolescentes apenas com problemas de adolescentes, espinhas, ‘namoricos’, notas baixas, notas altas, cinema, dois meninos e uma menina, na faixa de 13 a 17 anos. Alberto era um homem em paz, levou sua sogra para morar em sua casa depois que o sogro faleceu. Enfim, era um homem com uma vida estabilizada.

       Aquele dia em que tomou esta decisão era uma quarta-feira. Alberto estava no meio de uma semana bem cansativa no seu trabalho, e resolveu buscar um pouco de paz e ouvir Deus no culto de quarta-feira em sua igreja. Alberto tinha uma estabilidade financeira, vivia momento de tranquilidade com sua família, mas alguma coisa o deixava incomodado. Era como se ele estivesse eternamente cansado, e desanimado. As vezes chegava a se sentir incomodado por seus próprios sentimentos, afinal de contas, tinha tudo o que pedira a Deus, mas, mesmo assim, estava insatisfeito. Havia algum tempo que Alberto orava por esses sentimentos, queria entender porque estava tão incomodado ultimamente.       

      Entrou na igreja e só conseguia conversar com Deus a respeito desses sentimentos. Orou, orou e orou, até que começou a ouvir. Participou do culto, louvou a Deus, ouviu a mensagem proferida pelo pastor, terminado o culto cumprimentou a todos e caminhou até o seu carro. Durante sua ida para casa foi refletindo sobre a mensagem ouvida e remoendo tudo. Juntando como um quebra-cabeça cada peça começou a entender o que se passava com ele. “É isso! Deus quer usar a minha vida!”. Alberto ouviu a voz de Deus de forma clara, tinha compreendido que Deus queria usar a sua vida de uma forma diferente, em um lugar diferente. Lembrou-se da mensagem de um missionário do sertão nordestino, que tinha ouvido em sua igreja há seis meses. O seu problema maior não era deixar São Paulo e todo o seu conforto, mas levar sua família. O trabalho não havia problema, Alberto era sócio em uma empresa e com certeza conseguiria administrá-la de longe. Mas sabia que tirar adolescentes de uma grande capital para o sertão nordestino seria complicado. Então orou, orou, orou e orou. E Deus tocou no coração de seus filhos. Quando chegou em casa decidido os filhos arregalaram os olhos de susto, porque a família toda estava reunida antes dele chegar conversando sobre um sonho que sua filha Ana havia tido naquela noite. Ana tinha sonhado que estava com toda a família num deserto, não havia nada naquele lugar, apenas uma simples casa, muito diferente da que eles moravam. Não havia ao menos cama suficiente para todos, alguns estavam dormindo no chão. Mas todos estavam felizes! Ana acordou com uma sensação de paz, de consolo vindo de Deus, e estava compartilhando essa paz com a família quando seu pai chegou em casa com a notícia. O espanto, é claro, foi geral. Mas todos entenderam de imediato o que estava acontecendo: Deus estava falando!

       Alberto aceitou o desafio de Deus e sua família o apoiou porque tinham a paz de Deus diante de uma grande mudança. E seguiram para o sertão, um lugar sem os luxos e mordomias que tinham, mas vivendo a vontade de Deus em paz. Hoje Alberto é pastor formado por um seminário do nordeste brasileiro e toda sua família o ajuda no ministério, sua esposa lidera o grupo de mulheres, sua filha evangeliza as crianças, um filho ensina música para quem desejar e outro lidera a juventude com diversas programações, sua sogra também foi e se reúne quase todos os dias com a terceira idade para meditações bíblicas e troca de experiências. Alberto entendeu que a vontade de Deus é agradável não só para quem recebe, mas para toda sua família. “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transforme-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Romanos 12.2).

 O Jornal Batista Ano CXIV Edição 06  

Esse post foi publicado em A família, Bíblia, Diversos, Em destaque, Jornal Batista digital. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s